Integração e formação de time

Divulgação: serious.global/learn
Divulgação: serious.global/learn
Cresce a adesão ao Team Building, maneira lúdica de despertar o interesse dos colaboradores nos treinamentos corporativos

Nos dias de hoje manter o foco e a concentração no ambiente de trabalho é um dos maiores desafios dos profissionais. A tecnologia ao mesmo tempo que ajudou as empresas a otimizar processos também gerou inúmeros escapes. Uma pesquisa divulgada em 2016, pela gigante da informática mundial, Microsoft, revelou que o tempo médio de atenção das pessoas caiu de 12 segundos, em 2000, para oito, em 2013. Essa diminuição veio por conta da chamada ‘revolução móvel’, com a chegada dos smartphones e tablets, está cada vez mais fácil perder a atenção. Dentro do universo de treinamentos corporativos manter o colaborador atento e interessado é uma tarefa difícil. Um tipo de treinamento experiencial, o Team Building, vem ganhando adeptos e espaço no mercado de eventos e em vários outros setores no Brasil e no exterior.

Mas afinal, o que é Team Building?

Team Building é um termo em inglês que traduzido para o português literalmente significa ‘construção de equipe’. Podemos dizer que é um tipo de treinamento, dos inúmeros possíveis, dentro da educação corporativa. Nos ambientes competitivos das empresas, a técnica serve para desenvolver o espírito da equipe em cada funcionário. Além disso, é uma forma eficaz de tornar o trabalho mais fácil para todos os envolvidos, já que tem potencial para eliminar barreiras entre áreas e alinhar objetivos comuns.

Para Milly Tjioe Chung, diretora e co-criadora da Integrapro, empresa especializada em Team Building, esse tipo de atividade, normalmente, possuem desafios que só podem ser vencidos se o grupo conseguir realmente trabalhar em equipe. “Os colaboradores comprovam que juntos são capazes de alcançar resultados que nem eles mesmos imaginavam, o que lhes traz motivação para enfrentar os grandes desafios do dia a dia profissional”.

Segundo o consultor da Duomo Educação Corporativa, Tiago Cesario, a procura pelo Team Building aumentou muito no final dos anos 90 e começo dos anos 2000. “Hoje o tema ainda é bastante procurado, mas o que se percebe é que as empresas buscam mais consistência, ninguém quer apenas ter um dia divertido, fazer algo bacana e voltar para o trabalho só com boas lembranças. É importante que se criem planos de ação, que os conceitos fiquem claros e que os gaps existentes sejam trabalhados”.

Fugindo do lugar comum

Você já participou de um treinamento na sua empresa, ficou sentado, ouviu alguém falar por horas e a sua vontade foi dormir? Na verdade, com o Team Building é muito provável que isso não aconteça. Nele o participante é uma figura ativa de todo o processo, por isso não se sente desmotivado. Montagem de quebra-cabeças, jogos de tabuleiros, pinturas de quadro coletiva, construção de balsas navegáveis ou torres de bastões de madeira que podem alcançar mais de quatro metros de altura e caça ao tesouro utilizando GPS em uma área de quilômetros, são exemplos de atividades que podem ser realizadas. Tudo vai depender das necessidades da empresa, que pode ser de pequeno, médio ou grande porte.

Antes de montar uma atividade de Team Building é fundamental observar alguns pontos como os gostos e afinidades do público-alvo. Outro quesito importante é a duração, o ideal é que a atividade não seja muito demorada para não cansar as pessoas, entretanto também não pode ter poucos minutos, pois isso prejudica a profundidade do projeto. O local escolhido vai depender do que se pretende realizar, pode ser dentro da própria empresa ou em qualquer outro lugar.

“Como há times em que os integrantes se encontram em diferentes regiões geográficas, uma boa ideia é aproveitar momentos em que as equipes são reunidas em um mesmo local, como nos encontros de alinhamento de metas e apresentação de resultados, eventos de integração de novos colaboradores, convenção de vendas para realizar as atividades de Team Building”, afirma a diretora da Integrapro.

Vantagens

Os mecanismos de aprendizagem no cérebro são processos complexo, já que até a informação ser assimilada totalmente, ela percorre um longo caminho. É sabido que aprendemos melhor quando nos conectamos emocionalmente com alguma coisa. É o que acontece com o Team Building, o impacto positivo provocado, faz com que o aprendizado perdure no participante. “Atividades experienciais têm esse poder de impactar as pessoas e prepará-las para um tema que queremos tratar. Quando falamos de ações assim podemos aproveitar o momento para sensibilizar os participantes diminuindo a ansiedade sobre ‘quem é essa pessoa ao meu lado?’, ‘o que ela quer?’ ou seja, colocamos todos no mesmo barco”, esclarece Cesario.

A rotina dos escritórios é estressante, são tarefas, metas e prazos para cumprir, completando tudo isso, há o trânsito caótico das grandes cidades, que dificulta a rotina das pessoas. Chegar no ambiente de trabalho e sair um pouco da rotina motiva os funcionários. Chung acredita que o Team Building proporciona momentos de leveza e descontração. “Esse tipo de treinamento consegue levar dinamismo e até diversão para eventos com longas e pesadas reuniões ou com atividades mais teóricas, por exemplo”.

Experiências de sucesso

Mesmo em grandes corporações não é muito comum que haja especialistas em Team Building trabalhando internamente. O que faz com que quem pretende realizar os treinamentos busque empresas de fora para ajudar nessa demanda. Foi o que fez a companhia farmacêutica Takeda, presente em mais de 70 países, com mais de 31 mil colaboradores. Eles contrataram profissionais especializados para gerenciar os processos de Team Building. O motivo segundo o gerente de produto, Fernando Ribeiro Silva, é o grau de complexidade dos projetos que exigem pessoas preparadas para garantir um resultado final positivo. Silva afirma que as empresas focadas em Team Building possuem know-How em diversas formas de aplicação de atividades e amarração aos objetivos finais.

Dia de treinamento na empresa Takeda - Divulgação: Assessoria

Dia de treinamento na empresa Takeda – Divulgação: Assessoria

 

O gerente de produto da Takeda, conheceu o Team Building quando ainda atuava como representante de vendas. “O meu primeiro contato foi como participante, então eu pude sentir, que, em muitas vezes, a energia e sinergia gerada durante o exercício e após, eram muito fortes, pois conectavam as pessoas deixando todos focados nos mesmos objetivos”.

Os treinamentos de Team Building acontecem há 10 anos dentro da Takeda e os planos para o futuro é que continuem sendo realizados. Os feedbacks dos colaboradores são sempre favoráveis. “Durante uma fase de restruturação da força de vendas, o retorno mais importante que recebi após uma atividade de Team Building, foi a de um funcionário que dizia estar assustado e apreensivo com um novo desafio apresentado. Logo após o treinamento ele disse que se sentiu mais relaxado e capaz de absorver melhor as informações estratégicas”, relembra Silva.

 

Tags: treinamentos

Relacionados
Jogos Corporativos

Jogos corporativos para treinar e desenvolver

Líderes de RH

O que os líderes de RH podem fazer hoje para apoiar os líderes do futuro

Divulgação: 7geese.com

Os desafios para o treinamento e desenvolvimento de força de trabalho em grandes organizações

Treinamento vivencial

Treinamento vivencial