Página Principal Revista EBS

ABEOC Brasil reage à ameaça aos cancelamentos de eventos em carta aberta

Foto: Skitterphoto / Pixabay
A reação da ABEOC - Associação Brasileira de Empresas de Eventos - veio através de uma carta aberta dirigida ao setor de eventos, autoridades e população do país.

Publicada em 12/01/2022

A ABEOC – Associação Brasileira de Empresas de Eventos – divulgou nessa quarta-feira (12) uma carta aberta dirigida ao setor de eventos, autoridades e população do país.

Devido ao aumento no número de casos de Covid-19, causada pela alta taxa de transmissibilidade da Ômicron, autoridades de todo o país começam a cogitar a implementação de medidas restritivas em eventos de aglomeração.

Em São Paulo, por exemplo, o Governo pretende restringir novamente eventos com aglomerações em todo o estado. O Comitê Científico de Combate à Covid-19 naquele estado se reuniu na tarde desta terça-feira (11) para discutir recomendações que serão anunciadas oficialmente nesta quarta-feira (12), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Tendo em vista esse cenário, a ABEOC se posiciona contra a possibilidade do cancelamento de eventos, a favor da continuação do processo de imunização da população e a manutenção dos protocolos sanitários.

Acompanhe na íntegra o documento divulgado:

CARTA ABERTA DA ABEOC BRASIL AO SETOR DE EVENTOS, AUTORIDADES E POPULAÇÃO

Não podemos permitir revivermos março de 2020. Muito foi aprendido e demonstrado desde então para provar que eventos, como feiras e congressos, têm a organização e o controle necessários para garantir uma participação segura. Nestes quase dois anos, percorremos um longo caminho. Nos unimos em prol da sobrevivência do setor, nos mobilizamos pelo socorro através das medidas emergenciais, conquistamos espaço e voz.

Asseguramos através dos eventos-testes que trabalhamos duro para criar ambientes monitorados, propícios para os negócios, a capacitação, para dar visibilidade a marcas e produtos, e não para a contaminação. No pouco tempo que tivemos para a retomada do calendário fizemos a roda da economia voltar a girar, recompomos equipes e criamos novos postos de trabalho. E pasmem! Atestamos o que vínhamos bradando há meses sem descanso: Não tivemos aumento de casos por conta dos eventos corporativos.

Muito mais importante do que cancelar eventos – O QUE SOMOS TERMINANTEMENTE CONTRÁRIOS – é continuar o processo vacinal e manter os protocolos, como uso de máscaras e álcool em gel, que já mostraram sua eficiência. Temos visto um crescimento nas taxas de contaminação, mas essa não tem refletido no número de óbitos. E mais: Mundo afora a opção tem sido manter a economia funcionando para não agravar, também, o desemprego e a miséria que cresceram com a pandemia. É um andar junto, consciente, em busca de novas soluções.

Como já pedíamos nos primeiros meses de 2020: É preciso separar o joio do trigo. O que realmente pode do que não pode. Estamos dispostos a contribuir para essa tomada de decisão. O que não podemos e não vamos é ficar de braços cruzados esperando, novamente, o definhamento do setor de eventos e das 52 atividades que o compõem. Não há mais espaço para tal.

SIM ÀS VACINAS!

SIM À CIÊNCIA!

SIM AO SETOR DE EVENTOS!

SIM À RACIONALIDADE!

SIM À COERÊNCIA!

SIM À JUSTIÇA!

NÃO AOS CANCELAMENTOS!

ABEOC BRASIL – Associação Brasileira de Empresas de Eventos

Fonte: Assessoria

Relacionados

Rio Innovation Week transforma o Rio de Janeiro na capital da Inovação e da Tecnologia

São Paulo recomenda prevenção em grandes eventos e não proíbe realização

Somos reféns da realidade e dos sonhos?

EXPOMEAT 2022

A cidade de Lambari estreando no mundo dos eventos

Resumo: Como foi a edição da CES 2022

Alagev abre inscrições para a L²ACTE² 2022

Linguagem inclusiva: da vida para a língua