Página Principal Revista EBS

CES 2018: as maiores novidades tecnológicas apresentadas na feira

CES 2018 espaço Intel
Espaço Intel na CES 2018 - Divulgação/CES
Feira revelou inovações que devem impactar diversos setores da indústria mundial

A CES (Consumer Electronics Show), maior feira de tecnologia do mundo, aconteceu entre os dias 9 e 12 de janeiro deste ano, no centro de convenções de Las Vegas, nos Estados Unidos. Nesta edição, a exposição apresentou novidades de produtos e serviços que irão auxiliar cada vez mais as pequenas e grandes empresas ao redor do mundo. Nomes de prestígio no ramo de tecnologia, como Samsung, Intel, Sony e LG, participaram do evento, onde puderam expor suas novidades. Em 51 anos de história, a CES 2018 contou com o maior espaço físico desde sua primeira edição, acomodando cerca de 4 mil expositores – e um total de aproximadamente 190 mil pessoas.

“A CES está constantemente evoluindo para capturar as tecnologias e a inovação do futuro, que muda à medida que nossa indústria se transforma e mostra o trabalho mais inovador que o mundo tecnológico tem para oferecer”, afirma Gary Shapiro, presidente e CEO da CTA (Consumer Technology Association).

A Inteligência Artificial foi o grande destaque da feira, com a apresentação de discussões sobre como ela está moldando os negócios e a indústria de diversos setores – entre eles,  automotivo, robótica e saúde. A IA continuará a crescer e, por isso, as empresas buscam maneiras de utilizar essa ferramenta no atendimento e relacionamento com seus clientes.

Essa necessidade origina-se da presença da tecnologia em várias áreas de nossas vidas, que tendem a ficar cada vez mais conectadas. Prova disso é que a Internet das Coisas já providenciou a informatização de diversos aparelhos domésticos, acessórios (como óculos e relógios) e até mesmo nos carros. Com o auxílio e avanço da Inteligência Artificial, essas tecnologias prometem continuar a impactar a sociedade.

Na edição deste ano, a feira trouxe ainda diversos outros destaques dedicados à inovação tecnológica, como a evolução da rede 5G, o futuro do uso de vídeos, e o dinheiro digital, por exemplo. O programa de conferência da CES 2018 cobriu toda a indústria de tecnologia com mais de 900 palestrantes, em cerca de 200 sessões de conferência – o que prova como a tecnologia está cada vez mais presente no dia a dia, facilitando processos e a comunicação através da conectividade.

CES 2018 LG

Experiência imersiva da LG, através de seu túnel de TVs OLED ultra-finas – Divulgação/CES

“Com todas as grandes empresas atualmente envolvidas em tecnologia, nosso show atrai grandes marcas globais e novatos inovadores de indústrias variadas, como entretenimento e marketing, esportes, saúde, automotivo e estilo de vida”, disse Karen Chupka, vice-presidente sênior da CES e da estratégia empresarial corporativa, CTA. “Tivemos um número recorde de participantes internacionais, o que é surpreendente devido à força do dólar americano e à queda na viagem de negócios internacionais para os EUA. A CES é verdadeiramente um evento global, provado ano após ano”.

Um dos temas mais comentados da CES 2018, a conectividade 5G deve transformar a indústria, os modelos de negócios e, principalmente, a sociedade. Apesar de chegar em alguns países apenas em 2020, a rede móvel tem a promessa de trazer uma velocidade de até 100 Mpbs aos aparelhos celulares. Além disso, essa rede está ligada diretamente à expansão da Internet das Coisas. Em alguns anos, diversos dispositivos estarão conectados: de cafeteiras a carros autônomos, e a eficiência da conectividade será importante.

O uso de vídeos também foi tratado, através de palestras sobre como o negócio de conteúdo streaming muda o cenário da indústria de entretenimento, bem como a importância dos vídeos mobile e um melhor engajamento com os millennials. “Não estamos no mercado de hoje”, disse Nancy Dubuc, presidente e CEO da A&E Networks. “Estamos sempre tentando adivinhar – ou ter um segundo palpite – sobre o que pode ser ao virar a esquina”, explicou, mostrando como é importante estar à frente das novidades e sempre pensar no futuro.

A CES 2018 contou também com um espaço especial para o compartilhamento de histórias e cases sobre a relação entre marcas, entretenimento e tecnologia.

Executivos puderam destacar as melhores práticas em impulsionar a inteligência artificial, data analytics e conteúdo digital para aperfeiçoar a narrativa das marcas.

Startups também marcaram presença

Uma das áreas da CES que mais tem crescido é o Eureka Park, espaço de exibição que oferece às Startups a oportunidade para que elas apresentem seus produtos, serviços ou ideias. Neste ano, mais de 900 empresas desse porte se reuniram no Expo Sands, com profissionais de 42 países.

Essa foi uma grande oportunidade de visibilidade, com a presença da imprensa mundial e cerca de 200 mil pessoas. Entre as novidades apresentadas estão um robô que ensina crianças a codificar (tornando a aprendizagem mais divertida), e diversos wearables, “tecnologias vestíveis”, como o Cardiomo, criado para detectar anormalidades na saúde.

CES 2018 Eureka Park

Experiências no Eureka Park – Divulgação/CES

O Hologruf, outra novidade que chamou a atenção sobre tecnologias aplicadas a modalidades de apresentações, simula o efeito de holografia 3D – dá a impressão que os objetos em exposição estão flutuando no ar. De acordo com a empresa responsável pelo produto, o objetivo é utilizar a tecnologia para criar novos painéis publicitários em espaços públicos.

Investidores vêem o Eureka Park como uma oportunidade para encontrar a próxima grande novidade, enquanto as empresas vão buscar parcerias e aquisições – um verdadeiro cenário global para a inovação e encontro de Startups.

Panorama Geral CES 2018, por Paulo Octavio (PO)

“Essa foi minha primeira participação no evento CES e tive muitas impressões e experiências. Inicialmente, fiquei com a sensação de ser um evento com um foco de atuação muito extenso, pois são quase 280.000 m² de exposição em quatro lugares distintos. E quando falo distintos, temos que incluir aqui as dimensões de Las Vegas nesse contexto. O principal centro de convenções da cidade (4 pavilhões) estava absolutamente lotado, inclusive com expositores em tendas no estacionamento, mais pelo menos três outros grandes centros de exposições. Tudo muito lotado, com diversos assuntos sendo abordados: Impressão 3D, tecnologia para bebês, até Smart Cities e Inovações para indústria automobilística. Então vai aqui o meu primeiro insight: se o visitante não tiver um foco bem especifico de qual setor/assunto está realmente interessado, corre o risco de passar vários dias andando por corredores cheios de expositores, dos mais diversos assuntos à sua frente. Portanto, são fundamentais o foco e um trabalho preparatório online com pesquisa e eventuais agendamentos. Esse evento, no passado, focava somente nas inovações para o setor de eletroeletrônicos tradicionalmente. Mas, agora, resolveu focar em inovação ao mercado, aos consumidores. Há um lado de um “gigantismo” que, na minha opinião, precisa ser resolvido pelos organizadores. É claro que assuntos mais na pauta da vanguarda tecnológica estavam presentes, como realidade aumentada, inteligência artificial e gaming/realidade virtual. Esses são assuntos que saem bastante nas mídias e criam a fama desse evento em todo o mundo. Mas tive a oportunidade de entrar em estandes que vendiam selas de cavalo com conexão WI-FI para monitorar batimentos cardíacos do cavalo e do cavaleiro, abridor de garrafa com agulha para evitar que seja necessário retirar a rolha, e por aí vai. Na minha opinião, o conceito de inovação tecnológica passa por todos os setores da economia, sem dúvida nenhuma (ponto positivo). Mas, como já mencionei, devido às proporções do evento, se o visitante não tiver um foco especifico corre o risco de se perder (ponto negativo).

Em relação às novidades que me chamaram a atenção, creio que devo mencionar o setor EUREKA, que possuía mais de 900 startups de todos os setores e nacionalidades tentando vender os seus conceitos e modelos de negócio. É sensacional ver tanta inovação em um só lugar. Os três dias que fiquei por lá seriam insuficientes para conhecer todos os expositores desse setor. Novamente, aqui o foco dos organizadores e visitantes é fundamental.

Creio que visitar um evento com o foco em inovação tecnológica como o CES, ou em criatividade como o CANNES LIONS, é uma grande oportunidade para o visitante receber uma série de insights e informações inspiracionais de forma concentrada. Quer dizer, é uma necessidade de qualquer profissional antenado com o seu respectivo setor ou correlatos participar de pelo menos uma ou duas feiras aqui no Brasil e, se existir a possibilidade, também no exterior. Essa é uma tendência muito forte, na minha opinião: feiras mais genéricas (tecnologia/criatividade/etc), ou feiras de um nicho mais especifico (baterias para carros e eletroeletrônicos, por exemplo); são janelas para inspiração e atualização.

Em um mundo com tanta informação disponível, o exercício de escolher qual feira participar e de qual assunto você deve se aprofundar é uma das grandes qualidades que os profissionais de qualquer setor deveriam ter. Fazer essa conexão entre o conteúdo relevante para o seu dia a dia profissional e a possível experiência/vivência em alguma feira ou evento especializado é um grande desafio para os profissionais de hoje.

Várias tecnologias apresentadas na última CES serão muito relevantes em um curto prazo, mas não durante o ano de 2018. No meu caso, fui com o foco específico de conhecer mais sobre as novidades para a indústria automobilística (mais precisamente, o carro autônomo) e, nesse âmbito em especial, a maioria das inovações ainda está em fase de desenvolvimento de produto, e não comercial. Exemplo: Visitei o stand de uma montadora coreana que mostrava um carro semiautônomo (nível 4, que exige ainda a interação do motorista) que, para ter 100% das suas qualidades funcionando, precisa de uma rede 5G operando perfeitamente. Ou seja, algo ainda um tanto distante de nossa realidade local. Já os exemplos de autonomia nível 3 estão mais próximos de acontecer, e creio que no Salão do Automóvel deste ano, em São Paulo, já poderemos ver vários desses exemplos em formato comercial.

Outra tendência muito forte são os assistentes de voz. Parece que quase todas as marcas têm um assistente de voz para chamar de seu: Siri, Byxby, e Alexa, só para ficar nos mais famosos. E os mais diversos produtos interagindo com os consumidores nesse formato. Não é só pedir para acender a luz ou fazer uma ligação. Agora, a maioria das marcas busca formas mais elaboradas de interação entre consumidor e produtos. Acredito que essa tendência e esses produtos estarão bem mais disponíveis aos consumidores brasileiros ainda em 2018. Acredito que quaisquer produtos que não estejam conectados à internet e que não tenham a capacidade de serem acionados à distância ou por voz, não terão a menor chance com o consumidor do futuro. É esperar para ver”.

CES 2018 Startups

Protótipos apresentados pelas startups – Divulgação/CES

Os destaques da CES 2018

1 – University Innovations Marketplace

A educação é uma área muito importante e bem explorada na CES 2018, que contou com a presença de algumas das principais instituições de ensino americanas. Equipes de alunos apresentaram os mais recentes softwares e projetos futuros, como a University of Southampton. Os estudantes da instituição realizaram demonstrações de um software de análise de consumidores de varejo usando uma webcam ao vivo, além de outras tecnologias, como aplicativos mobile.

2 – Projetor UHD da LG ganha prêmio

A LG Eletronics ganhou mais de 90 prêmios durante a CES 2018. Entre eles, o CES Best TV Product Award, pelo quarto ano consecutivo, para o novo LG AI OLED TV (modelo C8). Outro destaque foi o Best of Innovation Award para o LG 4K Projetor UHD – na categoria de eletrodomésticos, entretenimento e comunicações móveis.

3 – Robótica

A robótica está mais inteligente e habilitada do que nunca, com tecnologias que conseguem ler expressões faciais e antecipar necessidades humanas, por exemplo. Controlados por dispositivos móveis e capazes de reagir ao ambiente, os robôs de hoje desafiam o impossível. Isso só prova como as máquinas estão cada vez mais engenhosas e autônomas, interferindo diretamente em nosso dia a dia.

4 – Internet em todas as Coisas

A CES 2018 contou com o IoT Infrastructure Pavilion, espaço destinado para os fornecedores de tecnologia mais influentes no setor de Internet das Coisas. Essa área especial do pavilhão reuniu expositores que ofereceram respostas sobre os problemas mais difíceis da atualidade, incluindo segurança de ponta a ponta, gerenciamento de ciclo de vida, integração de backbone e velocidade de mercado.

5 – Realidade Virtual

O mundo real e as informações digitais se encontram no mercado de realidade virtual. Grande foco da CES 2018, esse campo apresentou o que há de novo em experiências através de hardwares e softwares, que são especialmente planejados para transmitir uma percepção da realidade através de sensores, câmeras, algoritmos e outros meios. Essa é uma tendência para o mercado de eventos e treinamentos.

6 – Gaming e Realidade Virtual

Durante a feira, os participantes puderam experimentar o que há de mais recente em jogos e realidade virtual imersiva, como vídeos 360, som direcional, rastreamento de olho, cabeça e movimento, entre outros. Foi lançada uma grande variedade de novidades na área de multimídia imersiva para sistemas, e a expectativa é de que headsets de realidade virtual alcancem a venda de 4,9 milhões de unidades em 2018.

7 – Sobrevoando as novidades

A CES 2018 também apresentou as últimas modernidades para os drones, equipamentos que prometem marcar presença em grandes eventos. Essas pequenas máquinas foram responsáveis por uma verdadeira revolução na forma como registramos e monitoramos nosso mundo. Controlados por computadores de bordo ou remotamente, os drones fornecem uma cobertura aérea para diversos momentos e lugares, cobertos ou ao céu aberto, e se tornaram uma tendência entre as ferramentas para o setor de eventos.

8 – Impressão 3D

Nos últimos tempos, as impressoras 3D estão ganhando espaço nas mais diversas áreas – e já são apontadas como protagonistas de uma nova revolução industrial. Elas podem ser usadas em diferentes setores, como a indústria médica, aeroespacial e automotiva, por exemplo. Mas o equipamento também serve como uma verdadeira atração tecnológica em eventos, através da interação com os participantes. Durante a feira, foram demostrados vários produtos e possibilidades que estão ao nosso alcance através das impressoras 3D.

Relacionados

Test drive de elétricos e híbridos deverá atrair 20 mil pessoas no Salão do Automóvel 2018

Eventos Sustentáveis: melhores práticas para o mercado de eventos

Eventos Sustentáveis: melhores práticas para o mercado

turismo-experiencia

Turismo de experiência

bastidores-rio2c

Rio2C cresce como evento de criatividade e inovação na América Latina

A gestão na 4ª Revolução Industrial

Brasileiros nadando a favor da maré da inovação

Brasileiros como fonte de inovação

Recursos Humanos High Tech

Evento feito por todos, para todos