Página Principal Revista EBS

Mulheres em cargos de liderança no setor de eventos e marketing ajudam a transformar o mercado

Como as mulheres vêm atuando, em suas posições de liderança no setor de marketing e na indústria de eventos corporativos

Neste 08 de março, Dia Internacional da Mulher, e a Revista EBS apresenta os depoimento de algumas lideres no segmento MICE quando o tema é negócio, liderança e representatividade em setores importantes do mercado de trabalho.

Em 2022, o Fórum Econômico Mundial lançou a 16ª edição do Global Gender Gap Index, e segundo a pesquisa, de acordo com a atual velocidade de desenvolvimento, serão necessários 132 anos para que o mundo alcance a igualdade total entre homens e mulheres no mercado de trabalho.

Entretanto, mesmo com esses números, grandes mulheres vêm atuando com papel de liderança no setor de marketing e na indústria de eventos corporativos.

Elas líderes no MICE

Ana Robalo, diretora de Operações da MCI, formada em turismo e especializada em marketing e gestão de contas estratégicas. Em seus 23 anos de experiência profissional na área de eventos, sendo 10 deles na MCI Brasil, já integrou o time da filial brasileira da empresa suíça como Events Project Manager e se tornou um nome forte no cenário corporativo.

Ana Robalo, diretora de Operações da MCI

Questionada sobre os desafios que enfrentou por ser líder reconhecida, Ana Robalo disse que o número de mulheres no setor de eventos cresceu, e hoje, o mercado tem uma maior representatividade.

Ela destaca que o desafio vem de lutar contra um passado patriarcal e mostrar cada vez mais a importância da equidade.

“Essa é uma tarefa sempre em andamento e tenho orgulho em dizer que, na MCI, fazemos nossa parte para um setor de eventos mais inclusivo. Priorizamos um staff diverso e levamos nossa Política de Diversidade, Inclusão, Equidade e Pertencimento (DIEP) como um guia”, disse ela.

Sobre situações de constrangimento que passou, ela lembra que por mais profissional que seja, chegou a ouvir comentários machistas, com conotação de assédio sexual. Entretanto, isso não abalou a sua vontade de fazer mais.

“Devemos conceder um lugar de fala seguro e dar voz às mulheres para que, a partir de suas vivências, possamos repensar a cultura do nosso mercado. Além disso, é crucial que todos estejam preparados para amparar e acolher essas profissionais em momentos de necessidade”

Silvana Torres, fundadora da MARK UP

Outra personagem referência no segmento MICE é Silvana Torres, fundadora da MARK UP, que há 29 anos tem com o propósito, revolucionar o mercado de brand experience. Professora e especialista em Marketing Promocional pela ESPM e autora do livro Marketing de Incentivos, Silvana Torres presidiu, por dois anos, o Comitê Women Empowerment da AMPRO, que fomenta o empoderamento feminino.

A empresária já recebeu o título de profissional de marketing do ano e foi considerada uma das 10 executivas mais importantes da década pelo site Promoview.

Sobre a evolução da presença feminino no mercado de líderes, ela destaca que esse processo vem sendo acompanhado por uma grande transformação no mercado, onde cada vez mais as mulheres estão conquistando o seu espaço.

“Precisamos lembrar que, pesquisas recentes apontam que a presença de mulheres no time traz mais lucros. Muito mais do que o sentimento de justiça e igualdade, a participação feminina proporciona diversidade de opiniões e pontos de vista para as estratégias com as marcas”, disse Silvana Torres.

Entretanto, ela acredita que isso possa mudar ainda mais. “É preciso equiparar salários, estimular a contratação de mulheres e colocá-las em posição de liderança. E as mulheres que já ocupam essa posição, como é o meu caso, precisam fomentar essas iniciativas. Em 2015 fundei e presidi por dois anos o Comitê Women Empowerment da AMPRO, uma plataforma de executivas que busca contribuir para o crescimento e desenvolvimento profissional do gênero na área de Live Marketing, por meio da troca de experiências e capacitação, além de ter participado do programa Winning Women da EY que proporciona às mulheres uma oportunidade de aperfeiçoar conhecimentos essenciais ao mundo dos negócios através de mentoria”

Convidamos Heloísa Santana, presidente-executiva da AMPRO, para participar da discussão. Publicitária com especialização em finanças e 3° setor, há mais de 30 anos trabalha com Comunicação e Marketing, eleita uma das 13 Personalidades do Turismo pela Skål Internacional 2022, e, em 2023, pelo PROPMARK, como uma das 10 lideranças femininas de destaque no mercado de comunicação no Brasil.

Heloísa Santana, presidente-executiva da AMPRO

Ela comenta que como líder de entidade de classe, os desafios estão concentrados nas questões institucionais, como, por exemplo, evoluir a história da entidade, que está completando 30 anos, sobre as prioridades institucionais, serviços e produtos AMPRO, com a finalidade de deixar a entidade de forma mais democrática e a favor do setor.

Mas, quem acha que todo esse poder feminino sempre lhe trouxe privilégios, está enganado. Heloísa Santana lembrou que sua carreira sempre foi pautada em preconceito racial e misoginia, onde sempre precisou mostrar suas habilidades com esforço dobrado, pois não apresentava “os padrões estéticos”.

“Lembro que um dos meus clientes simplesmente pediu para não ser atendido por mim, pois ele ‘não sabia explicar, mas não gostava de pessoas negras’. Não há nada pior do que ser discriminado pelo sexo e cor da pele”, disse Heloísa.

Entretanto, isso não abalou sua capacidade de crescimento, e hoje seu nome se destaca no mercado corporativo.

Brenda Maia, CEO da Eagle Agência

Ainda sobre esse assunto, Brenda Maia – CEO da Eagle Agência, acha que as mulheres são sensíveis, instintivas, intuitivas, têm mais jogo de cintura para lidar com as situações.

“O fato de sempre ter me posicionado como uma profissional competente ajudou com que eu nunca me sentisse prejudicada por ser mulher no mercado de trabalho. Penso que uma boa liderança também vem da confiança que a gente expressa. Então, mesmo sabendo de todas as dificuldades que existem para as mulheres no mercado, por conta de questões históricas e estruturais, meu amor pelo trabalho sempre me impulsionou a correr ainda mais atrás dos meus objetivos”, disse ela.

Perguntada sobre o que precisa mudar para que as mulheres possam ter mais espaço, Brenda Maia é bem enfática.

“Uma dica muito importante para as mulheres é que nunca devem abaixar suas cabeças quando estiverem dentro de um ambiente predominantemente masculino. É necessário impor as opiniões, estudar e fazer com que os argumentos tenham embasamento. Não podemos achar normal sermos interrompidas enquanto ainda estamos expondo nossos pontos de vista e eu não acho que seja necessário falar mais alto, perder sua essência ou qualquer coisa assim para ser escutada. Acredite em você!”, finalizou ela.

Fechando a lista de mulheres em cargos de liderança, Morgana Lima, CEO da Tração Live Marketing, que sempre muito determinada e apaixonada pela arte, se encontrou no Live Marketing por poder trabalhar a arte como ferramenta, aprendendo a ter força, autoconfiança e lutar pela sua posição em um mercado ainda dominado por homens.

Morgana Lima, CEO da Tração Live Marketing

Com 18 anos atuando a frente da Tração Live Marketing, nunca se classificou como uma figura fragilizada ou inferior neste território.

“Aprendi a lidar de uma maneira que não guardei marcas, rancores ou dores. Acho que hoje as mulheres já conquistaram muito! Eu sou muito feliz, respeitada e orgulhosa da minha trajetória. Tenho uma empresa que coloca em prática tudo o que eu sempre desejei: a Tração inclusive tem 70% de mulheres em seu quadro de colaboradores e a gestão/altos cargos também tem a maior % feminina”, disse Morgana Lima.

Mas é claro, para ela, sempre é bom ter um olhar de crescimento e expansão da inclusão de mulheres como líderes.

“Muitas corporações ainda tratam a mulher como sinônimo de fraqueza para altos cargos. Para mudar essa realidade, as empresas precisam evoluir, desenvolver políticas de igualdade de gênero e investir no potencial feminino”, finalizou.

Motivação e liderança

Todas essas experiências e relatos de mulheres em cargos de liderança que podem motivar, não só a outras a seguirem por esse caminho, como mudar o olhar do mercado de trabalho para o posicionamento feminino e a qualidade de trabalho que elas podem oferecer ao meio profissional em que estão inseridas.

Relacionados

APAS anuncia doação de R$ 1 milhão para as vítimas das chuvas no RS

Estética in Rio: a vanguarda da beleza e estética profissional traz a IA para sua programação

UBRAFE celebra a inclusão das Feiras de Negócios no Calendário de Eventos Estratégicos da cidade de São Paulo

Em visita ao Brasil, CEO da RX destaca tendências para o setor de eventos