Página Principal Revista EBS

“SE CONTINUAR FAZENDO O QUE FEZ NO PASSADO, VOCÊ FRACASSARÁ”

Foto: Laughing Raven/ Pixabay
Transformar oportunidades em negócios concretos depende de aproveitar a retomada

Esta frase do nosso grande mestre Peter Drucker, dita há muitos e muito anos, cabe como uma luva agora. Por quê? “Porque a mudança é inevitável e a adaptação a ela é necessária para o sucesso”, afirmava Drucker.

Todas as medidas econômicas noticiadas até agora podem oferecer um novo cenário para os negócios em geral. Se forem de fato adotadas, é muito provável que a recuperação econômica comece mais cedo e seja muito mais relevante do que poderíamos imaginar.

Creio que, em breve, estaremos diante de muitas oportunidades que estão ficando retidas à espera de uma sinalização positiva da minimização dos efeitos da pandemia e do ambiente econômico, até porque, dinheiro não pode ficar parado por muito tempo e ele não deixou de existir. Pode ter ficado mais escasso para alguns, entretanto, quando isso acontece, significa que aumentou no bolso de outros.

Transformar essas oportunidades em negócios concretos vai depender exclusivamente de transpiração. E de visibilidade.

Quem estiver se mostrando e aberto para a geração de negócios vai aproveitar essa recuperação que tende a ser mais forte e mais veloz do que as retomadas após crises do passado. Tudo hoje acontece muito rápido; as tecnologias e a comunicação instantânea criam essa possibilidade.

E é para isso que as Feiras de Negócios existem. As feiras tem uma característica notável e incomparável: criam uma atmosfera otimista e propícia para a transformação de oportunidades em negócios. Não utilizar esse canal para acelerar a recuperação econômica é um enorme desperdício que empresa nenhuma pode se dar ao luxo de praticar.

Entre outras virtudes das feiras, eu quero destacar duas extremamente importantes para a retomada dos negócios:

  1. A possibilidade de realizar, em curtíssimo espaço de tempo, um volume de contatos pessoais e de geração de oportunidades que nenhum outro meio ou canal poderia proporcionar.
  2. A confiança (que é absolutamente fundamental para fechar negócios em qualquer situação, mas, ainda mais em épocas de crises, nas quais ninguém quer correr riscos) que a sua empresa irá transmitir para os seus potenciais clientes mostrando que está firme e forte no mercado e que a crise não foi capaz de derrubá-la.

Se a sua empresa andou “se escondendo” e ficando de fora das feiras, não perca nem mais um minuto. A hora é agora.  Ou então, “sente e chore” porque a concorrência vai deslanchar.

Não é porque o fantasma da pandemia se foi. É, simplesmente, porque a credibilidade, a esperança e o otimismo voltarão ao cenário, diante de novas oportunidades para um país enormemente promissor, que conta com recursos extraordinários em todas as áreas.

Hora de mostrar a cara. Vamos todos em busca de capturar as oportunidades enormes que virão por aí, principalmente aquelas que estarão no ar dentro dos pavilhões nos quais as Feiras de Negócios acontecem.

E vamos em frente porque é hora de planejar o próximo passo.

Um bom abraço pra vocês!

Autor(a)

Fernando Lummertz

Fernando Lummertz

Especialista em Marketing e Feiras de Negócios, criador da Rede Feiras e do Instituto PRO Expositor, é administrador, MBA Marketing, professor, jornalista e escritor. Atua há 4 décadas no setor de feiras de negócios

Relacionados
prejuízo-eventos-pandemia

Eventos: R$ 90 bilhões em prejuízo pela pandemia

Pelo Fim da Bitributação

Netza é a agência exclusiva de Live Marketing da Volkswagen

Setor de eventos deve ter novidades em 07 de julho

in-cosmetics Latin America é postergada para 2021

Feicon Batimat é adiada para abril de 2021

Capital Paulista avança de fase, mas feiras e eventos não têm previsão de retorno

CES 2021: como será?