Página Principal Revista EBS

Soluções digitais que estão transformando os eventos

Imagem: Freepik
A pandemia de Covid-19 tornou os serviços digitais essenciais para o funcionamento e sobrevivência das empresas de eventos.

Publicado em 16/12/2020

O novo panorama imposto pela pandemia de Covid-19 gerou grandes e consideráveis mudanças para a indústria de eventos. As limitações em virtude da pandemia, fizeram com que o mercado de eventos corporativos, incorporasse de vez os recursos tecnológicos a serviço de interações remotas. Até que os eventos presenciais voltem a acontecer, as empresas apostam na reinvenção, e em novas formas de oferecer serviços.

Neste sentido, a demanda por novos tipos de serviço fomenta o desenvolvimento de tecnologias. Se a atuação no meio digital era uma tendência, agora é uma alternativa viável e a oportunidade para garantir a sobrevivência de muitas empresas.

O mercado global de eventos virtuais deve crescer a uma taxa anual de 23,2% entre 2020 e 2027, atingindo US$ 404,45 bilhões em 2027, segundo o relatório Global Virtual Events Market Size 2020-2027.

Leia também: Tendências da indústria de feiras em 2021

O adiamento e cancelamento de viagens e encontros presenciais e a necessidade de continuar realizando reuniões e atividades remotamente, fez com que as plataformas digitais ganhassem força, passassem a ser uma ferramenta fundamental para impulsionar os negócios.

Muito mais do que transferir um pavilhão para uma webinar, as plataformas digitais possibilitam a realização de feiras, exposições, conferências, congressos, lançamentos de produtos, treinamentos, workshops, reuniões, vendas e diversas outras atividades em um contexto virtual.

Soluções para eventos aplicadas na prática

Com toda a transformação pela qual o mercado de eventos foi obrigado a passar no ano de 2020, muitos são os cases de soluções que vieram para auxiliar os organizadores de eventos.

A Amcham Brasil tem utilizado um aplicativo de networking e eventos online, desenvolvido pela Younner. A solução propõe a geração de negócios entre associados e tem o objetivo de aproximar as pessoas e acelerar o processo de entrega de valor aos participantes.

O aplicativo é acessível e democrático e conecta pessoas por meio de recursos como chat em tempo real, gamificação, matchmaking de contatos e serviços digitais agregados, que deixam mais simples a jornada de participação nos eventos. Na plataforma é possível a integração entre comunidades virtuais para discussão de ideias, live streams de conteúdo, chat do evento, compra de ingressos e check-in.

“Desenvolvemos um projeto customizado, feito sob medida para atender a empresa. Ao longo dos meses de pandemia, esse produto se tornou relevante dentro do plano de negócios da Amcham e está diretamente ligado à transformação digital”, explica André Dorneles, sócio-diretor da Younner.

“A Amcham está promovendo um processo intenso de transformação digital fundamental para os próximos anos do nosso negócio e dos novos modelos que estão surgindo”, destaca Marcelo Borges, superintendente da Amcham.

Soluções digitais eventos Foto: Kalhh / Pixabay
Soluções digitais eventos – Foto: Kalhh / Pixabay

Realidade Aumentada em eventos?

A startup Mobart surgiu em 2019, a partir de demanda identificada em pesquisas sobre o Mercado da Arte, que indicaram o potencial de mercado a ser explorado. O produto consiste em uma plataforma para gestão, comercialização e showcase com Realidade Aumentada (AR) para os agentes do mercado de arte.

O aplicativo permite por meio da AR, a experimentação das obras nos ambientes aos quais se pretende instalar ou expor. Possibilita dispor de todo o acervo por meio da tecnologia em eventos diversos sem a necessidade de deslocamento físico das obras de arte. Permite também, por compartilhamento, a transferência de coleções a parceiros, dinamizando os canais de venda. Outro recurso disponível é a gestão de acervo em tempo real e compartilhada.

Em desenvolvimento, o e-commerce vai favorecer as dinâmicas de compra e venda de obras de arte, bem como a inteligência artificial vai possibilitar a oferta de obras com maior assertividade aos investidores.

MobArt com a obra do Marcelo Hübner | Foto: Assessoria
MobArt com a obra do Marcelo Hübner | Foto: Assessoria

A Bublitz Galeria de Arte foi a primeira do Brasil a lançar uma galeria virtual interativa. Agora, a galeria também será a pioneira em levar uma exposição de arte para a casa dos visitantes, em uma parceria com o aplicativo Mobart. A novidade, com obras do artista Marcelo Hübner, poderá ser conferida diretamente da sala das pessoas.

“O aplicativo foi projetado nesta ‘Fase 1’ para cobrir eventos no campo da arte. Outras aplicações podem ser estudadas diante da demanda, uma vez que entendemos a necessidade de atualização de todos os segmentos em tempos de pandemia. Para tanto, estamos trabalhando para produzir uma versão customizada. Interessados em demonstrar seus produtos por meio de realidade aumentada, podem entrar em contato com a Mobart para alinhar as necessidades e particularidades de cada evento ou mercado”, explica Andrea Capssa, CEO da MobArt.

Saiba mais: Centro de Convenções Rebouças sedia o primeiro evento presencial desde o início da pandemia

Consultoria comercial e artística para transmissões na internet - Revista EBS
Foto: Pixabay

Consultoria comercial e artística para transmissões na internet

A IWM Agency, agência de marketing de influência, lançou o IWM Lives, um núcleo de negócio desenvolvido com o intuito de captar patrocinadores, além de fornecer um suporte a artistas e empresas que buscam estar em transmissões adequadas ao seu perfil de público e produto.

“Analisamos cada ação que a marca deseja trabalhar para sua imagem, escolhemos a transmissão mais adequada a seu público e interesse, construímos a narrativa que será feita no momento pré, pós e principalmente durante a exibição, e transformamos o artista em um parceiro estratégico da marca, no momento ideal para o consumo dos expectadores da live, unindo desta forma artistas e lives, anunciantes e marcas, todos em prol de um mesmo KPI”, comenta Murilo Oliveira, CEO da IWM Lives.

A empresa afirma que, desde o início da pandemia, já movimentou cerca de R$ 2,8 milhões com suas participações em diferentes transmissões, sendo a transmissão do cantor Gusttavo Lima a maior negociação da empresa até o momento, registrando cifras superiores a R$ 400 mil. Até o fim do ano espera-se a realização de mais 18 lives e um incremento de faturamento estimado para 2020 perto de R$ 2,5 milhões. As chamadas lives corporativas impulsionarão os negócios da IWM Lives durante os próximos meses.

A demanda de shows contratados por grandes empresas para as suas tradicionais festas de fim de ano também terá que se adequar ao “novo normal”. A partir de agora, a tendência é que sejam produzidos grandes eventos do tipo, mas no formato virtual, com os artistas realizando seus shows de forma privada, mas em altíssimo nível ao seu público, podendo ser colaboradores, clientes, ou mesmo o público final.

“Temos visto um grande movimento entre as empresas na busca por este tipo de contratação. Nos últimos 15 dias já recebemos sete solicitações desta natureza, acreditamos que este novo modelo de contratação ganhou força dentro do novo cenário mundial”, comenta Murilo Oliveira.

Tecnologia para realização de transmissões ao vivo e gravadas

A RD Play, aposta nessa nova forma de realizar eventos e transmissões on-line, sob a direção de Richard Deak, importante nome no mercado de cenografia há mais de 10 anos. A proposta da empresa é criar diferentes tipos de eventos multimídia via streaming com a projeção de reduzir os custos em até 70%.

A empresa oferece a realização de transmissões ao vivo ou gravadas, com ou sem interação virtual do público, como eventos, feiras, debates, palestras, reuniões e conferências virtuais, gravações de vídeoaulas e workshops, locação para profissionais de fotografia, gravações de DVDs e comerciais. Os projetos desenvolvidos poderão contar com inserções de vinhetas, divisão de telas, logotipia, inserções de slides e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A empresa oferece ainda, uma ampla variedade de serviços complementares às gravações, como estrutura cenográfica, direção artística e audiovisual para a captação e edição de imagens e som, além de uma equipe dedicada a criação de artes gráficas e conteúdos para gerar engajamento em redes sociais, como Instagram e Facebook.

“O mundo está mudando e, com ele, o mercado de eventos corporativos também. Essa é a hora para pensarmos em inovar. Por isso, estamos desenvolvendo projetos com transmissão ao vivo para todas as redes sociais, ou até mesmo de forma independente, pois o mercado está se atualizando a essa nova realidade que vivemos e que mudará nossos hábitos para sempre”, explica Deak.

Relacionamento com clientes em eventos virtuais

De acordo com Marcelo Laureano, da Mitte, Tecnologia para Eventos, a empresa teve de se reinventar, e enfrentar o desafio de liderar a equipe para que fosse possível uma rápida guinada dos produtos e, ao mesmo tempo, desenvolver a plataforma para eventos online em uma velocidade rápida.

“Nossa plataforma está bastante robusta e possibilita a realização de praticamente todos os tipos de eventos com alta qualidade, segurança dos dados dos participantes e dos conteúdos que somente podem ser consumidos de dentro da plataforma com acessos restritos e controlados, além de diversas ferramentas de interação entre os participantes do evento”, explica.

Estande Virtual Mitte Tecnologia na Feira EBS 2020
Estande Virtual Mitte Tecnologia na Feira EBS 2020

Marcelo também afirma que a Feira EBS 2020 foi decisiva para a empresa, pois como era um cenário muito novo, foi preciso ir construindo as soluções digitais a várias mãos, com outros fornecedores, além da parceria e ajuda intensa dos seus clientes. “Estamos todos aprendendo a realizar os eventos digitais e a integração e colaboração dos vários players envolvidos na entrega do evento é imprescindível”, comenta.

Ele conta que a empresa continua o processo de melhoria da plataforma e planeja o lançamento de várias novidades para janeiro, fevereiro e março, onde vão oferecer diversos novos recursos para melhorar cada vez mais as interações entre os participantes, palestrantes, expositores, autores de trabalhos científicos, rodadas de negócios e também do organizador, e de todas as pessoas envolvidas na execução de um evento.

“Na retomada dos eventos presenciais teremos um grande diferencial que é a nossa capacidade de realizar os eventos híbridos de forma integral, unindo o credenciamento e controle de acesso físico até mesmo de forma simultânea com os conteúdos online”, afirma .

Ele avalia que vários clientes que realizaram algum evento digital em 2020, estão propensos a realizar o evento híbrido nas próximas edições, pois entendem que o evento presencial é insubstituível, mas também querem aproveitar todos os benefícios que o digital também oferece.

“São públicos consumidores com perfis diferentes para o mesmo conteúdo. E, por tudo que temos acompanhado, também acreditamos que este será o formato que será mais adotado nas próximas edições”, conclui Marcelo.

Inovações tecnológicas derrubaram fronteiras e unificaram as relações comerciais, mas também impuseram o desafio de tratar cada consumidor como único, colocando as pessoas no foco da estratégia de negócio.

Atenta a essa movimentação global, empresas têm criado diversas ferramentas para dar suporte ao setor corporativo a ganhar eficiência na aquisição e relacionamento com clientes. A exemplo do Lobby Virtual, da InEvent, uma solução criada para a realização de eventos virtuais em substituição aos encontros presenciais cancelados.

“Enquanto em um evento presencial há diversas palestras e painéis acontecendo, com considerável perda de tempo entre troca de salas, no Lobby Virtual é possível ir de uma palestra para outra em apenas um clique, de forma simples e prática”, afirma Pedro Góes, CEO da InEvent.

Gestão ágil de eventos digitais

Os desafios das mudanças na mudança na forma de trabalho e na geração de produtos e serviços nas organizações por todo o mundo passam também pelo mercado de eventos. A organização dos eventos digitais deve entregar mais do que um simples serviços, gerar valor às pessoas, principalmente para esta nova geração totalmente conectada.

Essa revolução está ligada a transformação ágil. E para atender essa crescente demanda empresas especializadas como a Massimus, oferecem treinamentos oficiais de métodos ágeis e aborda temas de transformação organizacional. Adicionalmente, oferece infraestrutura para a gestão e realização do evento digital, como estúdio, equipamento e staff treinados.

“Uma ótima estrutura digital e presencial para hostear, planejar e gerenciar eventos. Atualmente oferecemos desde a solução para organização das equipes com Scrum, até o planejamento do backlog do evento e execução do mesmo. O setor de eventos corporativos nunca mais será o mesmo, nós acreditamos que a era dos grandes eventos presenciais está chegando ao fim, se não já chegou”, enfatiza Heitor Roriz, CEO da empresa.

Ainda de acordo com Heitor, a Massimus já digitalizou completamente seus serviços e produtos para atender os clientes. “Os eventos deverão sempre estar preparados para serem, caso necessário, presenciais, mas sempre digitais”, afirma Roriz, categoricamente.

E ainda: Híbrido será nova realidade para o mercado de Eventos

Relacionados

Por que a retomada ainda não decolou?

Plataforma pioneira em metaverso será apresentada no Futurecom

Feira EBS 2021 abre credenciamento

Triart entra na M&Co e espera crescimento de 25%

Evento-Teste com protocolo sanitário recebe certificação da ABNT

São Paulo vai exigir passaporte de vacina para entrar em eventos

APAS Show decide cancelar edição de 2021

Mercado MICE aquecendo os motores em rodada de negócios