Página Principal Revista EBS

Pesquisa aponta prós e contras do Home Office

Foto: Pixabay
Estudo promovido pela AMPRO apresenta o cenário de um ano de home office

Publicado em 19/03/2021

A AMPRO – Associação de Marketing Promocional / Live Marketing acaba de concluir um levantamento com agências que traz o balanço de um ano de home office para o mercado do Live Marketing. O estudo traz os prós e contras do novo modelo de trabalho adotado após o início da pandemia e uma perspectiva sobre como deve ser o retorno após a vacina.

“Apesar de obrigatória, a experiência do home office pode apontar caminhos para novas configurações do jeito de trabalhar. A pesquisa nos permitirá tirar lições para otimizar recursos e rever formatos”, afirma o presidente executivo da AMPRO, Alexis Pagliarini.

A pesquisa foi feita com 30 agências associadas AMPRO. Para a maioria, 59%, o regime de trabalho em home office se mostrou melhor ou igual ao presencial, com aumento da produtividade para 73%.

Produtividade, foco, melhor aproveitamento do tempo, reuniões mais objetivas, flexibilidade, proximidade da família, economia para a empresa, segurança, qualidade de vida estiveram entre os principais pontos positivos apontados pelas agências.

Entre os pontos negativos, a ausência de contato físico, dificuldade na adequação da rotina, ausência de privacidade, excesso de trabalho, interferência de fatores externos, problemas de conexão, e equipamentos inadequados foram mais citados. Embora a maioria acredite na eficiência do home office, para 60%, a falta de contato pessoal prejudica o trabalho.

Enquanto as equipes trabalham em home office, 53,3% das agências mantiveram o espaço físico e 36,7% informaram que se mudaram para local de menor porte ou reduziram a área de trabalho.

Durante o período, a maioria das empresas optaram por medidas provisórias, como redução de salários e jornada – 73,3%. O mesmo percentual informou que sofreu impacto no quadro de colaboradores.

73,3% das agências também se preocuparam com a saúde mental dos colaboradores. Entre as providências, estiveram ações como terapias para a equipe; palestras e workshops sobre ansiedade, saúde mental, produtividade, entre outros; atividades de interação e assistência direta do RH.

Após a vacina, 56,7% das agências informaram que escolherão o regime híbrido como definitivo, 16,7% desejam voltar ao regime presencial e o mesmo percentual (16,7%) ainda não definiu. Por enquanto, somente 10% pretendem permanecer totalmente em home office.

Os dados da pesquisa foram apresentados durante o AMPRO Live Talks – Um Ano de Home Office, live que reuniu membros do Comitê de RH da AMPRO, do FAS Advogados e da ABRH Brasil no último dia 18.

Fonte: Assessoria

Relacionados

Por que a retomada ainda não decolou?

AMPRO Globes Awards bate recorde de inscrições

Retomada da indústria dos eventos corporativos com rodadas de negócios presenciais

AMPRO alerta agências sobre vigência das punições da LGPD

Carta de Santos é assinada por entidades da Indústria de Eventos

Os impactos da COVID-19 e as perspectivas de 2021 para o setor de feiras e eventos de negócios

EXPO RETOMADA recebe mais de 800 visitantes testados em Santos

Agile Marketing para agências e clientes na AMPRO Saber