Página Principal Revista EBS

Aéreo puxa crescimento de 15,7% nas vendas das TMCs Abracorp

Pesquisa realizada em 2018 aponta crescimento nas vendas realizadas pelas associadas da Abracorp.

A pesquisa de vendas realizada por meio do BI (Business Intelligence) Abracorp, no período acumulado de janeiro a dezembro de 2018, compara os resultados do ano anterior e totaliza as transações feitas pelas associadas da entidade. Entre os indicadores analisados, evidenciou-se o peso e a capacidade de recuperação do setor aéreo – nacional e internacional. Isso aponta para a perspectiva de fortalecimento e prosperidade da indústria de viagens corporativas.

Seguem dados comparativos da movimentação aérea nacional e internacional, no âmbito das 28 agências de viagens corporativas associadas Abracorp. Enquanto o aéreo nacional faturou R$ 3.476.516.831 em 2017, saltou para R$ 4.012.786.715 em 2018 – 15,4% de crescimento. Em números absolutos, a liderança da Gol Linhas Aéreas se materializa na venda de bilhetes (1.784.299 em 2017 contra 1.987.472 em 2018 ou up de 11,4%). E, também, no volume de vendas – oscilou de R$ 1.099.288.882 para R$ 1.322.376.616 no período, numa arrancada de 20,29%.

A Azul cresceu 7,4% na venda de bilhetes – de 1.451.565 para 1.558.933 e 22,6% no resultado financeiro – de R$ 1.016.636.804 para 1.246.070.035. Já a LATAM, a despeito de vender menos bilhetes no comparativo (-2,7%), recuando de 1.655.121 para 1.609.714 unidades, cresceu 5,5% nas vendas do aéreo nacional – foi de R$ 989.683.918 para R$ 1.044.097.219.   

Para fechar o painel das quatro maiores, a Avianca sofreu retração na venda de bilhetes (de 725.015 para 706.295 unidades ou -2,6%)). Mas, no faturamento, subiu 9,4% – foi de R$ 344.557.888 para 376.846.034.

Tabela resumo 2018 BI Abracorp Inteligência de Dados – Divulgação: Assessoria

Aéreo Internacional

Os números gerais mostram crescimento de 8,7% na venda de bilhetes e de 6,6% no resultado financeiro. Liderança da LATAM deveu-se ao aumento de 27,1% na venda de bilhetes (de 141.897 para 180.353) e de 5,5% no faturamento (de R$ 488.023.280 para R$ 515.049.198). A American Airlines recuou -0,2% em bilhetes vendidos (de 88.686 para 88.552), mas cresceu 5,0% no resultado financeiro (de R$ 356.950.538 para R$ 374.685.321).

A Air France/KLM vem em 3º lugar – evoluiu 2,2% na venda de bilhetes (de 53.153 para 54.332) e 6,0% no faturamento (de R$ 258.109.193 para R$ 273.706.340). Segue a United, com +6,3% em bilhetes vendidos – de 39.893 para 42.406. E salto de 15,9% no resultado das transações (de R$ 220.885.412 para R$ 256. 072.690). A consulta às tabelas da movimentação aérea nacional e internacional completa o painel com as demais cias.

Market Share e Tarifa Média

No aéreo nacional, em bilhetes vendidos, liderança da Gol (33,7%); seguida pela LATAM (27,3%); Azul (26,4%) e Avianca (11,9%). Nas vendas, a Gol também lidera, com 32,9% do total. A Azul vem em 2º lugar, com 31%; seguida pela LATAM (26,2%) e Avianca (9,3%).

No internacional, a LATAM lidera o market share das vendas, com 17,70%. Seguem a American Airlines (12,9%); a Air France/KLM (9,4%) e a United (8,8%). Considerando os 7,7% da Lufthansa/Suiss, as cinco cias perfazem quase 60% do total.

A Azul registrou a tarifa média mais elevada – R$ 799, no aéreo nacional. Seguem MAP – R$ 706; Gol – R$ 665; Passaredo – R$ 660; LATAM – R$ 648; e Avianca – R$ 533. A tarifa média Abracorp ficou em R$ 680, contra R$ 602 de 2017.

A relação completa de dados de 2018 estão disponíveis no site da Abracorp, incluindo a movimentação e os rankings para hotelaria, locação, transfer e serviços dedicados ao mercado de viagens corporativas.

Relacionados

Se não tem perfil… Coach, coach and change

Azul fará transporte gratuito das vacinas para Covid-19

Grande São Paulo e outras 5 regiões entram na fase verde, com a liberação dos eventos

Confira os resultados da pesquisa “Termômetro MICE Brasil by MPI” apresentados na abertura do 5º Congresso MICE Brasil

Pesquisa vai avaliar os impactos da pandemia no mercado MICE do país

Indústria 4.0 e a recuperação econômica do setor de eventos

LATAM se prepara para retomada das operações

Empresas do setor de viagens corporativas discutem o pós-crise