Página Principal Revista EBS

Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – PERSE

Foto: rawpixel.com / Freepik
Foto: rawpixel.com / Freepik
ABRAPE destaca a necessidade de aprovação, no Congresso Nacional, do Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – PERSE fundamental para dar condições a sobrevivência do setor até que as atividades voltem a normalidade

Publicado em 26/01/2021

Responsável por 4,32% do PIB nacional e que reúne um universo de aproximadamente 60 mil empresas em todo o País, o setor de eventos de cultura e entretenimento inicia 2021 com duas pautas emergenciais: regulamentar as atividades onde as variáveis epidemiológicas permitam a realização com protocolos, evitando que a demanda seja atendida por eventos ilegais e clandestinos, que já vem sendo amplamente denunciados pela imprensa; e conquistar condições econômicas de sobrevivência para o segmento até que seja iniciada a campanha de vacinação, por meio, principalmente, da aprovação do Projeto de Lei que cria o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – PERSE.

“O setor de eventos é o mais sacrificado nesta pandemia do novo coronavírus. Cerca de 97% das atividades estão completamente paralisadas e mais de 450 mil postos de trabalhos formais, entre diretos e indiretos,  já foram exterminados. As festas ilegais no final de ano, como mostrado pela imprensa, revelaram que há uma demanda, que tende a se manter com as férias. O ideal é que haja uma regulamentação para que os locais que apresentem condições epidemiológicas permitam a realização de eventos legais, seguindo corretamente os protocolos: de outro modo o Estado estará empurrando toda a demanda para a ilegalidade, como temos visto. É o melhor caminho para se evitar a clandestinidade e os riscos à saúde pública.”, alerta o empresário e presidente da ABRAPE, Doreni Caramori Júnior.

De autoria do deputado federal Felipe Carreras (PSB/PE), o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos – PERSE abrange um conjunto de medidas que propõe garantir a sobrevivência do setor – que precisa seguir honrando suas despesas – até que suas atividades sejam retomadas sem restrições, bem como gerar a capacidade econômica para que assim que volte a operar,  tenha condições de fazer frente ao capital de giro necessário. Tem o objetivo, também,  de proporcionar margem para cobrir todo o endividamento contraído pelo segmento no período em que ficou paralisado. 

As medidas do Projeto de Retomada do Setor de Eventos abrange:

  • Obrigar as instituições financeiras federais a disponibilizar especificamente para as empresas do setor de eventos: linhas de crédito específicas para o fomento de atividades, capital de giro e para a aquisição de equipamentos; condições especiais para renegociação de débitos que eventualmente essas empresas tenham junto a essas instituições, mesmo se forem optantes do Simples Nacional. 
  • A extensão das condições da Lei Nº 14.046, sobre o adiamento e o cancelamento de serviços, de reservas e de eventos dos setores de turismo e de cultura em razão do estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia da Covid-19.
  • A Extensão das condições da Lei 14.020 para manter a suspensão e redução dos contratos de trabalho do setor, uma vez que as atividades do setor não voltaram e não há condições de reintegrar os trabalhadores antes disso.

“A aprovação do PERSE é essencial para promover crédito, preservação dos empregos, manutenção do capital de giro das empresas, financiamento de tributos e desoneração fiscal. Somente dessa forma, será possível evitar o colapso total do setor”, reforça Doreni. 

Conheça a íntegra do PL 5638/20 que cria o PERSE no link – CLIQUE AQUI

Sobre a ABRAPE – Associação Brasileira dos Promotores de Eventos

Criada em 1992 com o propósito de promover o desenvolvimento e a valorização das empresas produtoras e promotoras de eventos culturais e de entretenimento no Brasil, a Associação Brasileira dos Promotores de Eventos – ABRAPE tem, atualmente, 400 associados, sediados em todos os Estados da Federação, que são verdadeiros expoentes nacionais na oferta de empregos diretos e indiretos e na geração de renda, movimentando bilhões de reais anualmente.

A entidade congrega as principais lideranças regionais e nacionais do segmento, tem no portfólio de associados empresas como a Live Nation, Opus Entretenimento, T4F e mega eventos, como o Festival de Verão de Salvador e a Festa do Peão de Boiadeiros de Barretos.

Fonte: Assessoria

Relacionados

ABCasa Fair volta ao calendário de eventos da capital paulista

Expositores presentes na Expo Retomada em Santos

Primeiro lançamento de produto em realidade estendida da América Latina

Nova data: Francal ABLAC Show será em 2022

Vacinas x retomada no setor de eventos

EXPO RETOMADA será o evento-teste na modalidade eventos de Negócios para SP

Feira EBS Nova Data

O principal evento do setor MICE no Brasil anuncia nova data de realização

Setor de eventos se considera preparado para o retorno das atividades, aponta pesquisa