Página Principal Revista EBS

Design da Mentalidade Inovadora

Neurônios
Foto: Gerd Altman / Pixabay
Dez passos para você reprogramar seu cérebro a pensar diferente

Você pode pensar que inovar é um dom.
Mas estará enganado.
Inovar é uma prática.
E neste artigo vamos focar em um dos pontos mais importantes para a inovação – o design da mentalidade inovadora. Em outras palavras, como treinar, desenhar, formatar nosso jeito de pensar de forma proativa para a inovação.
A mentalidade inovadora é a capacidade de ver cada dificuldade como uma oportunidade.

Sobre os 10 passos

O cérebro funciona de forma anárquica, na maioria das vezes de forma inconsciente. Portanto, seria uma insanidade achar que esses passos são lineares, cartesianos – da mesma forma são infinitas as maneiras de estimular e programar a mente para a inovação. Porém, esses 10 passos, organizados em uma sequência lógica, tenho certeza que podem servir como inspiração ou como um mapa para a jornada de quem deseja começar ou mesmo aprimorar o pensar diferente.

1 – Tudo começa na mente. E você não é seus pensamentos nem suas emoções.

É muito importante entender que a realidade se dá através da percepção. A forma como você lê este texto, ou escuta algo é que vai determinar como você vai compreender. Se você tem uma atenção total a determinado assunto, sua compreensão será muito diferente da que você tem se estiver fazendo mais de uma atividade ao mesmo tempo. Ou seja a percepção da informação se torna diferente.
Da mesma forma é na mente que acontecem os pensamentos. E são eles que geram as emoções, que fazem com que tomemos as decisões.
Por isso, é fundamental identificar e entender que muitas vezes uma raiva, uma euforia, um entusiasmo, uma tristeza têm um significado, mas trata-se de algo passageiro.
Você precisa entender que você não é nem seus pensamentos, nem suas emoções.
As emoções podem e precisam ser percebidas, processadas, mas elas não são você. São passageiras.

“Nem o pior dos inimigos pode fazer tanto mal quanto seus próprios pensamentos.” – Buda

2 – Faça exercícios físicos

Um dos maiores mitos é achar que mente e corpo são coisas diferentes. A mente está contida no corpo. Inclusive pesquisadores como Candace Pert chegam a afirmar que a mente está em todas as células do nosso corpo, não só no cérebro. Ela se tornou famosa no documentário “Quem somos nós” e é autora do best-seller Moléculas das Emoções, em que explica suas pesquisas e os resultados que vem obtendo. De qualquer forma, 100% dos neurocientistas concordam: nosso cérebro precisa de exercício físico para conseguir desempenhar com eficiência suas funções.

3 – Cuide de sua alimentação

Você é o que você come. Essa frase nunca foi tão necessária. Os primeiros sapiens comiam de 2,5 dias em 2,5 dias. Essa história de alimentação de 3 em 3 horas é papo de quem quer vender alimentos processados como biscoito, iogurte industrializado, barras de cereais, leite, doces, chocolates… Com o mundo moderno, se você tem que comer de 3 em 3 horas, você precisa lançar mão dessas guloseimas. Mas isso não faz bem para seu corpo. Práticas como o jejum intermitente já são reconhecidas como benéficas, inclusive foi com as pesquisas decorrentes desta prática que Yoshiunori Ohsumi foi o vencedor do Prêmio Nobel de Medicina em 2016. Mas para ter o mindset inovador você não precisa já começar o jejum. Mas eu sugiro que adote uma dieta baseada em comida de verdade, evitando alimentos processados, conservantes e corantes. Já vai fazer uma grande diferença.

4 – Entenda mindset fixo e de crescimento

Tendo conhecimento que tudo começa pela mente, recomendo a leitura do livro Mindset: a Nova Psicologia do Sucesso, da Professora de Psicologia de Stanford, Carol S. Dweck, em que ela aborda a diferença entre o que ela denomina Pensamento Fixo e Pensamento de Crescimento.
Em qualquer situação existem esses dois tipos de mindset. Ou seja, diante das dificuldades você pode se justificar e lamentar, ou então ver aquilo como uma oportunidade de crescimento. Entendendo esses dois modos de pensar você percebe que, muitas vezes nos pegamos tendo um mindset fixo, porque isso está no nosso DNA. Nossos ancestrais também tiveram um mindset fixo como forma de proteção para sobreviver. Como somos uma evolução da espécie, continuamos carregando esse pensamento.
Mas em outros momentos você também se percebe tendo um mindset de crescimento. Ou seja, não significa que sempre você vai ter a mesma reação frente aos acontecimentos.

5 – Observe, afie o olhar turista

Significa ver as coisas pela primeira vez. Se você acostuma a ver as coisas como sempre foram feitas, não enxerga possibilidades de fazer diferente. Quando visita alguma cidade ou país diferente, ou visita um museu, ou vai num restaurante temático incrível, você tem aquela sensação de Uau. Essa sensação de ver algo pela primeira vez precisa ser recuperada para o cotidiano. Isso é fundamental para ter um mindset inovador.

6 – Conecte-se de forma singular e única

Quem quer atender a todos não atende ninguém. Por isso, é importante se conectar com um tipo de cliente. Com um mindset inovador, tentar atender todos os tipos de pessoa, torna-se uma tarefa muito difícil.
Veja as dores, as questões não atendidas, as expectativas. A partir do momento em que você entender esses pontos, vai poder analisar se faz sentido para outros públicos.
Ps – Isso vale também para a vida pessoal. Seu cliente pode ser sua mãe. Você não precisa agradar todas as mães do mundo, mas você pode fazer com que a sua mãe tenha orgulho de você. Assim no casamento, no relacionamento com os colegas, na educação dos filhos.

7 – Estimule o pensamento divergente

Este é um conceito desenvolvido pelo Professor Roger Martin, que identificou que o pensamento divergente é que gera novas possibilidades.
Quando cria-se um ambiente que proporciona a divergência, você amplia as visões frente a uma realidade e as respostas para um problema.
Essa é a razão pela qual as empresas realizam o brainstorming, em que não é permitido criticar a opinião do outro para não bloquear a expressão de ideias divergentes.
Esse conceito também se baseia no fato de que nem sempre a primeira ideia é a melhor. Além de ampliar opiniões de várias pessoas, amplie também as suas próprias opções de escolha.

8 – Experimente

Experimentar é o novo planejar. Não adianta ficar planejando por muito tempo de forma detalhada, porque a realidade muda muito rápido. Crie um protótipo, apresente a solução para que seus clientes testem. Assim você terá um feedback muito mais instantâneo que possibilita correções imediatas.
Planeje seu melhor. Execute. Erre rápido. Aprenda rápido.Corrija rápido.

9 – Mude, ajuste, faça as mudanças que precisam ser feitas

Não se apaixone pela ideia original. É preciso se apaixonar pela solução do problema. Com a experiência realizada pelo cliente, pode ser que precise fazer grandes mudanças. Por isso, desapegue do que já foi testado e constatado que não funciona.
Somos frutos da nossa evolução, da adaptação.

10 – Siga o fluxo

Se você está dando o seu melhor, em equilíbrio com você mesmo, focado no seu propósito, vá em frente! Você vai chegar onde você quer. Siga o fluxo do seu trabalho.
Às vezes as coisas demoram muito tempo para acontecer, mas é preciso paciência.
Existe um conceito chamado biomimética que nos ajuda a buscar soluções inovadoras tendo a natureza como fonte de inspiração. Por exemplo: Se você olhar o mato, ele cresce de forma muito rápida, mas também é algo frágil. Já o bambu, demora um longo tempo só para fortalecer suas raízes e dar base sólida para crescer e permanecer forte. Tudo tem seu ciclo, seu tempo. Não deixe que fatores externos atrapalhem sua paz. Siga o fluxo.

Referências para saber mais:

1. Livros:

  • Mindset – A nova psicologia do sucesso – Carol Dweck
  • Subliminar: como o inconsciente influencia nossas vidas – Leonard Mlodinow
  • Sapiens – Uma breve história da humanidade – Yuval Noah Hahari
  • As moléculas da emoção – Candance Pert

2.Vídeos:

Você pode ser melhor – Carol Dweck
Como o cérebro funciona (parte 1 – Neurônios) – Pedro Calabrez
Como o cérebro funciona (parte 2 – Arquitetura) – Pedro Calabrez
O design como forma de ver o mundo – Marcelo Pimenta
Quem somos nós
Marcelo Pimenta – Design da Mente Inovadora – Feira EBS 2019

Podcasts:

Mentalidade Protagonista – Podcast de Marcelo Pimenta e Paola Tucunduva
No Spotify – https://open.spotify.com/show/7apBMhBJtcDdZCOVdANGRE
iTunesStore – https://podcasts.apple.com/us/podcast/mentalidade-protagonista/id1449498503
Na web – http://protagonistas.podbean.com

Autor(a)

Marcelo Pimenta

Marcelo Pimenta

Unindo as competências de comunicador, professor e empresário, é um dos pioneiros da Internet no Brasil, com 20 anos de experiência como empreendedor digital.Professor da ESPM/SP, responsável pelas disciplinas de Gestão da Inovação e Design Thinking, onde é reconhecido pela criatividade em sala de aula, sempre criando novas formas de aprender e ensinar.

Relacionados

Ação aplica Machine Learning e vira case inédito do Google na América Latina

Experience Day Summit: Como transformar fãs em consumidores?

17ª Feira EBS: O futuro no segmento MICE é um limão ou uma limonada?

Congresso MICE Brasil: programação deste ano traz discussão sobre a importância do fracasso

RIO2-2019

Rio2C 2019 traz programação variada sobre inovação e criatividade

O futuro ao MICE pertence

Em edição sustentável, Campus Party Brasil 2019 trouxe mais conteúdo e reforçou o elo com as comunidades

Campus Party 2019: revolução tecnológica esbarra em falta de infraestrutura de telecom