Página Principal Revista EBS

Centro de Eventos do Pantanal inaugura maior usina solar do setor no Centro-Oeste

Investimento de R$ 3,6 milhões faz parte da modernização da nova era de energia limpa e renovável - Foto: Divulgação CEP
O Centro de Eventos do Pantanal (CEP) inaugura a maior usina de energia fotovoltaica do setor no Centro-Oeste

Publicado em 28/08/2023

CEP é o segundo centro de convenções a investir em usina fotovoltaica no Brasil e deve economizar cerca de R$75 mil ao mês

O Centro de Eventos do Pantanal (CEP) inaugura, na próxima quarta-feira (30.08), a maior usina de energia fotovoltaica do setor no Centro-Oeste, em Cuiabá (MT). O investimento de R$ 3,6 milhões faz parte da modernização da nova era de energia limpa e renovável, que além de gerar benefício econômico no prédio contribui com o meio ambiente ao reduzir as emissões de carbono.

O CEP é um empreendimento do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso (Sebrae/MT), e com seus 12 mil metros quadrados, funciona como importante gerador de emprego e renda em Mato Grosso.

A usina solar foi construída em uma área de 5,8 mil m² no qual compreende 972 módulos de silício monocristalino, o que garante uma eficiência maior na geração de energia.

O Sebrae em Mato Grosso é referência nacional em sustentabilidade, por gerir o Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), e neste sentido o CEP busca adotar práticas sustentáveis em conformidade aos princípios estabelecidos pela gestão, enfatiza o diretor de Administração e Finanças do Sebrae/MT, Roberto Dahmer.

“A adoção de energia renovável para o CEP completa as ações e práticas sustentáveis voltadas aos grandes negócios, reforçando nosso compromisso. Já fizemos um investimento como esse há anos na sede do Sebrae/MT muita coisa mudou, além da economia com energia, incentivamos muitas pequenas empresas e instituições a implantarem a energia solar. E, agora, o Centro de Eventos será levado a outro patamar de competitividade, é a materialização de um valor importante e que garante resultados sustentáveis”, ressalta o Dahmer.

Charles Padilha, gerente do CEP, destaca a importância do investimento para se tornar referência e inspirar outras instituições, além de servir como vitrine para empresas.

“Nós somos o segundo centro de convenções com investimento em usina fotovoltaica do país. É um diferencial considerável que demonstra o quão o Centro de Eventos do Pantanal está preocupado com a sustentabilidade e com a responsabilidade ambiental”, ressalta Padilha.

Mensalmente, o complexo produzirá cerca de 73 mil kWh em energia, o que corresponde a uma economia de R$ 75 mil por mês, volume suficiente para atender a um complexo de 240 casas populares, segundo o analista Técnico do Sebrae/MT, Marcelo Antônio Castro Pinto, engenheiro responsável pela obra.

“Toda energia produzida pela usina que é de médio porte, atenderá a estrutura do Centro de Eventos do Pantanal e mais quatro unidades do Sebrae/MT”, explica.

O CEP tem a expertise de ampliar as possibilidades dentro da área em que possui, pois além de ser um espaço completo para eventos, há inclusive, uma reserva ecológica no entorno, no qual a gestão atua fortemente na preservação das matas ciliares que compõem a paisagem. A aquisição das placas solares vem para complementar no oferecimento do espaço como uma ferramenta educacional para conscientizar o público sobre a importância da energia limpa.

“A ideia é que além de ser um gerador de eventos, o CEP também tenha a possibilidade de oferecer visita técnica e mostrar para sociedade como estamos preocupados e o que fazemos para minimizar os impactos causados ao meio ambiente. É uma série de vantagens, além da contribuição com a sustentabilidade ambiental e da redução de custos, será um diferencial em diversas frentes, tanto para o cliente final, quanto para o organizador”, reforça Charles, que há 12 anos gerencia o espaço.

Impacto social e econômico

Desde a inauguração em agosto de 2000, o Centro de Eventos do Pantanal vem inovando no setor e agregando valor social e econômico para a capital mato-grossense. Em 23 anos, o prédio já foi o ponto de 6.650 eventos, por onde passaram mais de 6,1 milhões de pessoas, entre público local e externo.

Os números são astronômicos e superam no impacto gerado com a gama de oportunidades que as festividades, congressos, conferências, palestras, solenidades e outros tipos de eventos fomentam.

“Temos nesse setor uma grandiosidade na geração de emprego e renda. São contratações no setor de limpeza, cenografia, decoração, segurança, bombeiros, brigadistas, recepcionistas, mestre de cerimônias, enfim. Também atinge em todo o entorno com a hospedagem, o que movimenta o setor hoteleiro, além da gastronomia, turismo, beleza, transporte, vestuário. Ou seja, o Centro de Eventos do Pantanal gera um diferencial muito grande no impacto social e econômico para Cuiabá”, afirma o gerente do CEP.

Apenas no primeiro semestre de 2023, o CEP já recebeu 112 eventos com um público de mais de 80 mil pessoas. Com base nos cálculos indicadores de despesas da Embratur (Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo), foram gastos mais de R$ 4,5 milhões em hospedagem, transporte, alimentação, compras e lazer. Já a mão de obra foi contemplada com a geração de mais de 1.500 postos de trabalho.

“Com essa grande movimentação aqui no CEP, nós estamos realmente cumprindo com o nosso papel social de valorizar o nosso espaço, impactando na economia local, gerando emprego e renda, e acima de tudo atuando ativamente na sustentabilidade econômica”, conclui.

Relacionados

Campus Party Brasil 2024 divulga palestrantes confirmados

Centro de Convenções Rebouças avança nas práticas ESG

SPCVB e Abear promovem a 2ª edição dos Roadshows Meu Destino é São Paulo

APAS anuncia doação de R$ 1 milhão para as vítimas das chuvas no RS