Página Principal Revista EBS

Nova Zelândia livre: 50.000 fãs assistem a show

Fãs lotam Eden Park em Auckland em um evento com ingressos esgotados. Foto: Assessoria Eden Park
Enquanto grande parte do mundo permanece acuado, Nova Zelândia sedia o maior show desde o início da pandemia

Publicado em 25/04/2021

A noite do último sábado (24) vai entrar para a história, foi quando mais 50.000 pessoas estiveram no Eden Park, o maior estádio da Nova Zelândia, para aquele que deve ser o maior show no mundo desde o início da pandemia.

O país está livre de requisitos de distanciamento social depois de praticamente eliminar o Covid-19 com políticas rígidas.

Por meio de uma combinação de bloqueios rápidos e fechamento de fronteiras, a Nova Zelândia praticamente eliminou o coronavírus, com 2.600 casos e 26 mortes relatadas desde o início da pandemia, de acordo com dados oficiais do governo.

A banda Six60 esteve em turnê para grandes multidões em todo o país, e o encerramento da turnê deu-se nesse sábado no estádio de Auckland, que foi anunciado como o maior show do mundo desde o início da pandemia.

Máscaras raramente são usadas e não há requisitos de distanciamento social em vigor. Em vez disso, as pessoas são encorajadas a escanear o sistema de rastreamento de áreas com contaminados e dispensers de higienizadores para as mãos são encontrados por toda a parte.

“Da próxima vez que eles disserem que é impossível, mostre isso a eles”, escreveu Six60, a banda da Nova Zelândia que encabeçava o show, em um comentário sobre um fotografia aérea da multidão, postado em sua conta do Instagram.

O ingresso para esse evento foi esgotado rapidamente. Apresentando pirotecnia e um grupo Maori kapa haka, foi a primeira vez que um ato musical teve permissão para ser a atração principal de um evento no Eden Park.

Enquanto países duramente atingidos como a Espanha, que no mês passado realizou um concerto experimental indoor para 5.000 fãs, teste maneiras seguras de ressuscitar a música ao vivo em um ambiente pós-Covid, os locais na Nova Zelândia têm funcionado da mesma forma que antes da pandemia.

Foto: Assessoria Eden Park

Menos de 3 % cento da população da Nova Zelândia recebeu uma dose de uma vacina, de acordo com New York Times, e os participantes do evento não são obrigados a apresentar prova de inoculação ou teste de vírus negativo.

É um contraste gritante com outros países em todo o mundo que estão bloqueados em meio ao aumento de infecções.

Outros países com permissão para grandes eventos

Grandes eventos de música ao vivo também estão sendo organizados em outros lugares que conseguiram conter a propagação do vírus. Em Taiwan, o cantor e compositor Eric Chou tocou em eventos com lotação esgotada no ano passado no Taipei Arena, com ingressos limitados a 10.000 pessoas. Na China, mais de 4.000 shows ao vivo foram realizados durante a primeira semana de outubro para as celebrações do Dia Nacional do país.

Talvez a maior mudança para a Nova Zelândia seja a falta de artistas internacionais. Com a fronteira fechada para quase todos, exceto os cidadãos e alguns trabalhadores essenciais, os artistas tiveram que solicitar uma permissão especial para entrar no país e, em seguida, passar duas semanas em quarentena em hotéis.

Os neozelandeses adotaram atos locais. Uma turnê nacional do cantor e compositor Marlon Williams esgotou nas maiores cidades da Nova Zelândia. O cantora benee, que ganhou fama com TikTok e vem de Auckland, foi a atração principal do festival anual de música Rhythm and Vines perto da cidade de Gisborne, que atraiu 23.000 participantes.

Um novo corredor de viagens trans-Tasman, que permite viagens sem quarentena entre a Austrália e a Nova Zelândia, começou na semana passada, abrindo caminho para a cantora e compositora australiana Courtney Barnett anunciar uma turnê de 10 datas em julho.

Outros eventos ao vivo com público

E não foram apenas os fãs de rock kiwi que se reuniram neste fim de semana: 78.113 torcedores lotaram um estádio na vizinha Austrália para uma partida de futebol no domingo.

O jogo, entre os Collingwood Magpies e Essendon Bombers no Melbourne Cricket Ground com 100.000 lugares, foi o maior público em qualquer estádio esportivo desde o início da pandemia.

Relacionados

Setor de eventos se considera preparado para o retorno das atividades, aponta pesquisa

Oktoberfest é cancelada novamente

Show-piloto: bons tempos de volta na Inglaterra, pelo menos por uma noite

Em Barcelona, show teste para 5.000: não há sinal de contágio de Covid-19

SP poderá ter eventos com 25% da capacidade na fase de transição

Alívio na pandemia: plano de recuperação para os setores de eventos e de turismo é aprovado no senado

Show reúne 5.000 pessoas em Barcelona, após testes de covid-19

Web Summit disponibiliza plataforma para eventos virtuais