Página Principal Revista EBS

Retorno de agências, produção audiovisual e produção de espetáculos em São Paulo

Foto: Pixabay
Sergio Sá Leitão tratou sobre retomada dos eventos, protocolos e incentivos a empresas e profissionais em entrevista para a Ampro

Publicado em 22/05/2020

O Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de SP, Sergio Sá Leitão, antecipou no final da tarde do último dia 21, em entrevista online com o presidente executivo da AMPRO – Associação de Marketing Promocional, Alexis Pagliarini, a autorização para o retorno das atividades de alguns segmentos ligados à indústria de Eventos e de Cultura, como a produção audiovisual, as agências de marketing e publicidade, a produção de espetáculos, bem como os novos projetos de drive in.

De acordo com Leitão, estão sendo elaborados 15 propostas de cronograma e protocolos para a retomada segura de atividades ligadas a esses setores e os quatro primeiros deverão ser anunciados na próxima semana pelo Governador de São Paulo, João Dória.

“Estamos trabalhando em mais 11 cronogramas de retomada que precisam levar em consideração dois parâmetros: o ‘Dia D’ da retomada, quando tivermos 14 dias de queda sustentada do número de novos casos do coronavírus, e a taxa de ocupação das UTIs em 60% – hoje estamos com mais de 90%. Temos expectativa de que o pico de contágio da doença seja breve e, a partir de então, a queda”, afirmou o Secretário.

O AMPRO Live Talks Online abordou especialmente sobre como a Secretaria e o Governo do Estado estão se movimentando pela retomada segura do setor de Eventos, além de tratar a respeito das medidas propostas para socorro financeiro das empresas e dos profissionais autônomos ligados ao setor. Com movimentação de mais de R$ 960 bilhões anuais no país, a indústria de Eventos é uma das que mais impacta a economia nacional, com geração de 25 milhões de empregos diretos e indiretos.

“Fizemos um levantamento e temos, só no Estado de São Paulo, cerca de 1,5 milhão de pessoas que trabalham no setor criativo. Destes, 1 milhão são pequenos PJs ou autônomos. O governo tem total clareza do impacto devastador desta crise para os profissionais e empresas destes segmentos. Identificamos que o setor deve ter uma perda de R$ 34,5 bilhões, estamos falando em menos 1,7 no PIB de São Paulo só nessa área”, pontuou Sá Leitão.

Medidas de apoio

A respeito das medidas de apoio, o secretário citou a disponibilização das duas linhas de crédito, via Desenvolve SP, para empresas com faturamento anual até R$ 10 milhões, e pelo Banco do Povo, para empresas com faturamento anual até R$ 360 mil.

“A ideia foi dar suporte às empresas e, indiretamente, ajudar os profissionais. O que ocorreu foi que a demanda superou em mais de 30 vezes os recursos que conseguimos colocar nessas duas linhas. Foram R$ 500 milhões iniciais pela Desenvolve SP e outros R$ 200 milhões pelo Banco do Povo, que se esgotaram muito rapidamente. Em abril e no início de maio, nos dedicamos a buscar mais recursos fora do estado – que também ficou descapitalizado com queda de 30% na arrecadação de impostos. Temos um pleito de R$ 1,5 bilhão ao BNDES, dos quais conseguimos mais R$ 164 milhões, e seguimos tentando capitalizar junto a outras fontes”, afirmou.

Os protocolos

Sobre os protocolos que serão anunciados para a retomada das primeiras atividades relacionadas ao setor, o Secretário afirmou terem como base estudos e propostas internacionais, com apoio de assessoria e consultorias profissionais e das áreas da saúde e vigilância sanitária. “O grau de risco de determinada atividade tem que ser mensurado de acordo com vários critérios. Quando há mais controle sobre a circulação de pessoas, a taxa de risco é menor, e sabemos que há diversos tipos de eventos com capacidade de controle maior e implementação de protocolos”, pontuou.

Sá Leitão defendeu ainda a importância de campanhas sobre a adoção dos protocolos e grau de segurança das iniciativas, para que a população se sinta segura em retomar algumas atividades. “O Governo fará uma campanha geral, que deve incluir menções aos Eventos e ao campo da Economia Criativa, mas os setores também podem e devem criar uma autorregulamentação neste sentido, em forma de certificações, fiscalizadas pelas Entidades, para a adequação das empresas e dos estabelecimentos aos protocolos”, sugeriu. E garantiu: “O estado espera ser um impulsionador da retomada responsável das atividades econômicas e sociais. Estamos abertos a todas as colaborações, críticas, sugestões”.

Alexis Pagliarini, Sergio Sá Leitão, Juan Pablo de Vera e Wilson Ferreira Junior (da esq à direita)
Foto: Divulgação

Go Live Brasil em pauta

Junto com Alexis Pagliarini, participaram do AMPRO Live Talks Online o CEO do grupo R1, Juan Pablo de Vera, idealizador da Go Live Brasil – coalizão formada por 11 Entidades ligadas ao setor de Eventos; e o Conselheiro da AMPRO e CEO da agência ETNA, Wilson Ferreira Jr. O evento teve o apoio da Crosshost.

A próxima edição da série de entrevistas do AMPRO Live Talks Online será com o Secretário de Turismo do Estado de SP, Vinícius Lummertz, no dia 27 de maio, às 11h.

A Associação de Marketing Promocional é a única que desenvolve nacionalmente a teoria e a prática do setor de Live Marketing de forma ampla. Com sede em São Paulo, completa 27 anos em 2020 e possui cerca de 300 empresas associadas, com representação abrangente em todo o território nacional. www.ampro.com.br

Relacionados

Prefeitura cancela Oktoberfest Blumenau 2021

EXPO RETOMADA reafirma protocolos para retorno seguro dos eventos de negócios

EXPO RETOMADA recebe mais de 800 visitantes testados em Santos

Agile Marketing para agências e clientes na AMPRO Saber

Primeiro lançamento de produto em realidade estendida da América Latina

AMPRO Globes Awards 2021 vai contar com Young Lions no júri

Vacinas x retomada no setor de eventos

EXPO RETOMADA será o evento-teste na modalidade eventos de Negócios para SP