Página Principal Revista EBS

Recursos Humanos High Tech

Divulgação: rawpixel/Unsplash
Presente em diversas áreas, a tecnologia promete auxiliar nos processos de seleção e gestão de pessoas

Nos últimos anos, os avanços tecnológicos têm apresentado impacto direto em nosso ambiente profissional e pessoal. A área de Recursos Humanos, assim como qualquer outra, conta com o auxílio cada vez maior da tecnologia em seus processos. Desde a seleção de candidatos até a análise de perfil dos colaboradores, diversas soluções já estão disponíveis no mercado.

Com foco mais estratégico para as companhias, a área de recrutamento e seleção está recebendo atenção especial e investimento sobre gestão de pessoas. A necessidade pela busca de profissionais competentes e que possam aderir à cultura da empresa é a mesma de sempre, mas os desafios tendem a mudar com o passar dos anos.

Segundo estudo publicado em março de 2017 pela CB Insights, empresa americana de pesquisa e análise de dados, foram investidos US$ 2.2 bilhões no segmento em 2016 (isso à nível global). Com a chegada da 4ª Revolução Industrial, a tecnologia transforma todos os meios de produção, crescendo a demanda por produtos mais rápidos e objetivos. “Esse fator reflete diretamente no modelo tradicional de gerir as empresas e em todos os setores do mercado de trabalho.

Então a tecnologia está presente em grande parte dos setores das empresas, inclusive no RH e, nesse sentido, a novidade são as chamadas ‘HR techs’. O termo é utilizado para empresas que visam propor soluções os problemas ligados a recrutamento e outros desafios no que diz respeito a gestão de pessoas”, explica Mônica Hauck, cofundadora da Solides, empresa de RH e gestão comportamental.

Para Marcello Porto, diretor de Produtos da LG Lugar de Gente, empresa de soluções em gestão de pessoas, as empresas estão se conscientizando cada vez mais sobre como uma contratação errada custa cara – tanto pelo retrabalho, quanto pela perda de investimento no colaborador. “Nesse sentido, a evolução da tecnologia é fundamental, pois vem permitindo que o RH supere esses desafios, realizando essa atividade em novos formatos, menos subjetivos e muito mais alinhados ao negócio, através da aplicação de games corporativos, entrevistas por vídeo chamada e integração com redes sociais, por exemplo”, diz.

A transformação do setor de Recursos Humanos através da tecnologia está apenas começando. Podemos destacar diversas práticas que evoluíram com o tempo, desde a divulgação de vagas através de redes sociais e aplicativos, passando pela gestão de todo o processo seletivo e interação com candidatos, até chegar na avaliação para alinhamento do perfil comportamental com a cultura da empresa e gravação de entrevistas através de plataformas de vídeos.

“Parte destas mudanças envolve a otimização das etapas do processo através do uso de tecnologia e outra parte já aproveita o uso de algoritmos e inteligência artificial para garantir processos com melhores resultados, tanto em relação à economia de tempo, quanto em relação à escolha dos perfis e experiência dos envolvidos no processo”, conta Luiz Eduardo Drouet, diretor da ABRH-SP (Associação Brasileira de Recursos Humanos).

Entre os impactos positivos da informatização do RH podemos citar a agilidade, precisão, facilidade operacional, organização e planejamento nos processos de seleção de colaboradores. Ainda assim, o uso de ferramentas, aplicativos e mídias deve ser mais explorado pelo setor.

“Existem vários processos de gestão de colaborador que podem ser automatizados. Mas o grande ponto das tecnologias é como elas podem trazer mais inteligência nesse processo. Acredito que, dentro de gestão de colaboradores, nós sabemos que tem descida de clima, engajamento, feedback, avaliação de performance, então isso gera dados para as empresas no final do dia. Mas elas não conseguem conectar todas essas respostas, então é importante ter uma tecnologia para a área de gestão de colaborador, que pode facilitar a aplicação desses processos”, explica Isabella Botelho, CEO da Pin People, plataforma online que utiliza a tecnologia para ajudar empresas e candidatos a se encontrarem.

A plataforma, criada em 2014, é baseada em inteligência artificial, que cruza e monitora dados para melhorar o clima e aumentar a produtividade dos colaboradores no ambiente de trabalho. Ela nasceu da inquietude dos próprios sócios, por não acreditarem ou não estarem felizes sobre a forma com que o processo de gestão de pessoas era feito.

No mundo corporativo, esses procedimentos continuam a seguir o mesmo padrão de trinta anos atrás. Porém, a busca por inovação tende a aumentar em um futuro próximo. Isso porque o uso da tecnologia para a seleção está ligado diretamente à automatização de processos, ainda manuais em sua grande maioria, especialmente nos departamentos de RH. Nesse caso, os profissionais se deparam com a dificuldade em tornar o setor mais estratégico.

“No futuro, será inconcebível a não utilização da tecnologia da informação, inteligência artificial da indústria 4.0, e de tudo que vem com ela para otimizar as ações para fazer com que o homem tenha uma operação muito mais focada naquilo que representa a sua possibilidade de trabalhar de uma formais estratégica menos manual, fazendo com que ele tenha muito mais tempo hábil para realizar as ações necessárias”, diz Márcia Gravalos, Diretora de Comunicação na AGERH (Associação dos Gestores de RH) e Consultora de Gestão Humana na Infinitho – Desenvolvimento Humano e Organizacional.

Principais benefícios

Com o auxílio da inteligência artificial e algoritmos, é possível garantir melhores resultados durante o processo seletivo, através da escolha assertiva sobre os perfis e experiências dos envolvidos no processo. Uma das tendências na área é o uso de People Analytics, processo que coleta, organiza e analisa informações a respeito do comportamento e desenvolvimento dos funcionários, contribuindo na tomada de decisão da empresa, antecipando tendências e

“Através de uma solução de people analytics, ou seja, de análise de dados, o RH conseguirá cruzar informações e extrair insights importantes, como quais são as competências presentes nos colaboradores de maior performance da organização, que tipos de perfis mais contribuem para o turnover, dentre outros dados. Com essas informações em mãos, ficará mais fácil mapear que tipo de talento a companhia quer atrair e quais candidatos mais se aproximam ao perfil da vaga”, diz Marcello Porto.

O SAP SuccessFactors é um dos softwares de gerenciamentos de talentos mais conhecidos no mundo, com uma plataforma que integra módulos para os gestores, permitindo a avaliação, acompanhamento e gestão de carreiras, por exemplo. Com diversas funcionalidades, o SuccessFactors oferece soluções para uma experiência integrada, a fim de identificar pontos fortes e fracos em uma equipe, impulsionando produtividade e faturamento, por exemplo.

“Em 2011, um amigo e consultor da SAP veio nos visitar e contou sobre os projetos e a projeção que o SAP SuccessFactors teria em alguns anos. Nosso sócio, Mário Cabral, entendeu mais sobre este universo, montou um time, capacitou esse time e iniciamos os trabalhos de consultoria do SAP SuccessFactors como plataforma de gestão de talentos”, explica Rudá Pereira da Costa, Analista de Marketing da SOU, empresa que tem a missão de desenvolver pessoas por meio da tecnologia.

A tecnologia oferece diversos benefícios para a área de recursos humanos, tanto para a empresa contratante, quanto para os candidatos – que, mais do que nunca, precisam acompanhar as tecnologias para o mercado competitivo.

“Os benefícios passam pela otimização de tempo, redução do número de pessoas envolvidas e de outros investimentos com terceiros, mas o principal é o aumento da precisão nas avaliações dos perfis e consequentemente atração de pessoas. Valorizando o aspecto humano dos processos envolvendo pessoas e potencializando esses processos através da tecnologia, as empresas poderão reduzir aspectos subjetivos na avaliação de candidatos e colaboradores, trazendo inteligência para a área e gerando melhores resultados para as organizações”, diz Drouet, diretor da ABRH-SP.

Recrutamento online

Nessa área, uma modalidade que vem ganhando espaço é o recrutamento online. Seu principal benefício é a agilidade que confere ao processo de seleção de candidatos, além da promessa de otimizar a contratação.

Para Mônica Hauck, ser assertivo na contratação de colaboradores é um dos maiores desafios dos gestores. “Além de todos os transtornos em decorrência da substituição de um profissional que não se adaptou ao ambiente ou ao ofício, ainda custa caro para as empresas. E por isso, a tecnologia vem sendo protagonista na otimização e automação dos processos do setor de recursos humanos.

Ela já vem sendo empregada para identificar o perfil comportamental dos candidatos com bons resultados, aumentando a assertividade, diminuindo a rotatividade, reduzindo o tempo e do custo da operação”, afirma.

A tecnologia ajuda o setor com processos que ainda são manuais e dificultam ações estratégicas. O aumento pela procura e aplicação de tecnologias no processo seletivo aponta para essa tendência crescente. Algumas empresas já aplicam essas soluções há algum tempo, através de testes on-line, jogos interativos entre participantes, contato com altos executivos, e até o retorno sobre o resultado dos processos seletivos.

Porém, é importante tomar cuidado para que esse processo não se transforme em algo impessoal demais. “O contato pessoal é fundamental. É a garantia que estamos realmente falando da mesma pessoa cujos dados foram analisados via tecnologia.  Pessoas sempre podem surpreender. A justiça e a humanização devem estar presentes”, explica Tania Moura, VP Executiva da ABPRH (Associação Brasileira de Profissionais de RH).

Tecnologia na Gestão de Pessoas

Além dos processos de seleção, a tecnologia é grande aliada na gestão de pessoas. Ou seja, também está diretamente ligada à retenção dos talentos já existentes, na estruturação do sistema e em outros pontos igualmente importantes para o setor.

“O futuro da tecnologia não será apenas em função da seleção, mas também da retenção, da gestão de pessoas como um todo, que caminha para uma estratégia própria. Assim como a mudança de mindset para um novo design thinking, que possibilite acompanhar o que vem acontecendo em termos de inteligência artificial e a indústria 4.0, sem perder aquela essência do homem em sua capacidade de criar, inovar, comunicar e se relacionar, além de aprender e ensinar uns com os outros, de forma global e responsável”, afirma Márcia Gravalos.

Na gestão de pessoas, a tecnologia pode ser uma ferramenta de integração entre equipes quando alinhada às estratégias da empresa, consolidando as bases de trabalho, apresentando resultados positivos entre os colaboradores e, consequentemente, para a própria empresa.

“Quando falamos de gestão de colaboradores, acho que vai mais além, que é trazer inteligência para tudo que você está aplicando para o seu colaborador. Nós gostamos de falar que dentro de gestão de colaboradores é a experiência do seu colaborador. Que tipo de perfil ele está respondendo? Que sinais ele está dando de que está feliz ou não, e quais são as variáveis de impacto disso? E você, empresa, o que pode fazer para mudar? Se você souber onde tem maior chance de você ter uma mudança da insatisfação dos colaboradores, isso é ótimo para o RH”, explica Isabella Botelho.

O futuro da tecnologia no RH

Os desafios na área de Recursos Humanos devem continuar e, com o desenvolvimento tecnológico, novas funções e possibilidades prometem aparecer para auxiliar os profissionais da área durante suas tarefas.

“O futuro se apresenta com muitas novidades no curto prazo.  Desde implantação de BI, alocação de profissionais dedicados especificamente na análise destes dados para desenho de soluções e produtos on demand, até a parceria com startups de HR Techs e outros fornecedores de soluções de tecnologia.

A mudança na legislação trabalhista, a implantação do e-social são fatores que tem demandado melhor tecnologia de todas as organizações para as questões fundamentais da gestão de pessoas. São ainda minoria as empresas que já possuem tecnologia diferenciada para educação, gestão de desempenho, carreira por exemplo, e estas estão à frente neste desafio, estando mais preparadas para o novo mercado e toda a mudança que já bate à porta”, explica Tania Moura.

Nesse futuro próximo, as novas tecnologias devem otimizar ao máximo todos os processos de gestão de pessoas, funcionando como complemento e peça importante para que as organizações aproveitem ao máximo de seus recursos.

Apesar de todos os avanços tecnológicos, ainda não é possível prever o futuro – com a exceção de possíveis estimativas, é claro. Mas não é necessário o uso de qualquer artifício nessa área para saber que, em um futuro próximo, a tecnologia estará cada dia mais presente em cada etapa de nossas vidas.

Relacionados

Comunicando melhor

Mobilidade Sustentável é o tema de congresso sobre Tecnologia da Mobilidade

Para 74% dos recrutadores, Millennials se frustram e se desmotivam facilmente no ambiente corporativo

4º Congresso MICE Brasil: dicas mágicas para surpreender no universo MICE

RIO2-2019

Rio2C 2019 traz programação variada sobre inovação e criatividade

LGPD

LGPD, você sabe o que é? Pare um minuto e leia isso

Campus Party 2019: revolução tecnológica esbarra em falta de infraestrutura de telecom

Saindo da caixa: um novo olhar para o mercado de eventos