Página Principal Revista EBS

As 4 perguntas para quem vai empreender

Imagem (Pixabay)
Empreender é a palavra do momento. Mas antes de escolher qualquer negócio...

Empreender é a palavra do momento. Mas antes de escolher qualquer negócio, segmento ou hobby para empreender, é preciso pensar em quatro itens essenciais para o sucesso. São quatro perguntas que cada empreendedor deve fazer para si mesmo:

Quem sou eu e o que me move?

A primeira delas é ter certeza de que esse projeto tem a ver com você, com seus planos. Isso é primordial, já que você vai dedicar todos os seus esforços para que ele dê certo. Encare isso como seu propósito individual. O trabalho empreendedor requer um altíssimo grau de dedicação; portanto, seu projeto deve correr em suas veias e no coração.  

O que eu sei fazer bem?

O segundo item é ter habilidade. Estamos num mundo extremamente competitivo, e a competência é pré-requisito. Você deve dominar as questões técnicas. Competência é muito mais do que saber fazer bem feito, é estar preparado para inovar, é perceber tendências e antever oportunidades.

Quem eu conheço e pode me ajudar?

O terceiro item, o boca a boca, é essencial. Começa com sua rede de conhecidos, familiares, parentes e amigos. Mas ele deve se sustentar e ser ampliado. E isso pode ser feito por meio da comunicação digital, como as mídias sociais e os blogs, além de cartão de visita, folder –  o que for necessário para seu caso. Divulgar, compartilhar, se relacionar é tudo nessa era digital. Assim, você se torna a referência no setor em que empreende.

O que eu tenho para começar?

A quarta pergunta ser levada em consideração é avaliar quais recursos você tem para começar. Pense no mínimo, não gaste tanto no começo. A ação vai gerar rotatividade, e conforme sua empresa for crescendo, destine uma reserva para investir no seu próprio negócio. Muitos empreendedores deixam de empreender porque ficam esperando a situação ótima, e essa situação nunca vai chegar, ainda mais em um momento de crise.  

Se você pensou bem nesses itens e percebeu que tem condições de empreender, tenha em mente que é sempre necessário ter coragem, que nada mais é do que agir com o coração. Agir com o coração é encarar o medo e fazer algo que te inspire! Coloque o coração em tudo e enxergue pela perspectiva do outro. A partir do momento em que pensamos no outro, este se sente acolhido e o seu negócio fará sentido. 

Assim que você fizer sua escolha e tudo estiver engatilhado para começar, tenha em mente que, a partir desse momento, você será um empresário. Portanto, precisa pensar como tal. Ter cabeça de empresário é investir em ferramentas para se aprimorar nessa nova profissão, não só em conhecimento técnico, mas de gestão também.  

Autor(a)

Marcelo de Elias

Palestrante internacional. Professor da FGV, Fundação Dom Cabral e Franklin Covey.Premiado pela Associação Brasileira de Liderança como o melhor palestrante sobre Mudanças e Gestão. Um dos palestrantes destacados pela revista TED, que apresentou as referências no mercado de palestras. Participou de visitas técnicas com outros grandes palestrantes em Dubai e Israel.Experiência como Executivo de Recursos Humanos. Diretor da consultoria Academia de Empresas, empreendedor e empresário. Formação internacional na Universidade de Tampa na Flórida/EUA. Administrador com MBAs pela USP e FGV. Formação executiva pela Fundação Dom Cabral. Realizou intercâmbio técnico-profissional em diversas empresas americanas. Mestrado em Inovação, Empreendedorismo e Design Thinking.Fundador da “Universidade da Mudança“, o maior portal brasileiro de conteúdo sobre mudanças.Assina colunas em sites e revistas. É coautor do livro “Ser Mais em Gestão de Pessoas” e autor do audiolivro bestseller “Como ser um RH Estratégico”.Para saber mais: contato@monteiroassessoria.com.br | (11) 2863-7457

Relacionados

A crise está tornando sua empresa austera ou mesquinha?

Personal Branding nas empresas: como usar marcas pessoais para alavancar negócios

OHL Americas, promovido pela Hospitalar, encerrado com sucesso

Empreendedor protagonista: O futuro é agora e as escolhas são suas

LGPD: o que muda com a vigência imediata da Lei

20 tendências para inovação nos negócios pós-coronavírus

rodada - speed meeting

Na crise: relacionamentos e oportunidades de negócios

Pós-pandemia: o intraempreendedorismo pode impulsionar a inovação nas empresas