Página Principal Revista EBS

Normal? Que normal?

Neivia Justa fala sobre o NORMAL. Que normal?

Publicado em 23/06/2020

Sempre achei estranho o conceito de normalidade.

Segundo os dicionários, normal é o que está de acordo com a norma, com a regra. Algo regular, comum, usual.

De onde vem essa nossa mania de querer encaixar, rotular, padronizar e controlar tudo à nossa volta? De pessoas a contextos, o que significa ser “normal’?

Ouso dizer que nunca existiu essa tão aclamada normalidade.

“De perto, ninguém é normal”, já diria Caetano. Você já parou para pensar no tamanho do preconceito envolvido quando classificamos alguém de (a)normal?

Em se tratando de cenários e contextos econômicos, empresariais e governamentais, o que existia era uma certa previsibilidade, num mundo que não era conectado em rede, onde o nível de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade era infinitamente menor.

Essa pandemia, que veio se instalando no planeta com o raiar de 2020 e, aqui no Brasil, nos colocou em compasso de espera há três meses, nos obrigou a enxergar que o mundo que conhecíamos, ao qual estávamos acostumados, não existe mais.

De repente, da noite para o dia, nossa vida virou do avesso, nossa rotina foi confiscada, nossas fantasias de comando e controle foram roubadas e nos demos conta da nossa insignificância e finitude.

A urgência e a necessidade nos obrigaram a abandonar a ilusão que tínhamos de viver numa realidade estanque, estável e comandável.

Se “o passado é uma roupa que não nos serve mais” (Belchior), precisamos desaprender velhas crenças que nos aprisionam e criar novos hábitos que determinarão nosso futuro.

Se “nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia…” (Lulu Santos) e “nada será como antes, amanhã…” (Milton Nascimento), por que raios cá estamos nós querendo definir um “novo normal”?

Tudo o que podemos controlar é a maneiracomo sentimos, pensamos e agimos em relação à vida como ela se apresenta, no presente.

Um novo normal começa em você, em mim, em cada um de nós. Aqui e agora.

Que tal trabalharmos para que ser humano, confiar, incluir, educar, respeitar as diferenças, combater as desigualdades e ter atitudes solidarias seja normal a partir de hoje?

#JustaCausa #aquiestáofuturo

Eu sou a Neivia Justaexecutiva, headhunter C-Level, empreendedora, professora, mentora, conselheira e mãe de duas adolescentes. Trabalho para encontrar e (trans) formar líderes que pensamse comunicam e agem de maneira conscientediversa, inclusiva e inovadora construindo, assim, um futuro sustentável para todos.

Artigo publicado simultaneamente na edição impressa do Jornal O Povo de hoje, 22/06/2020.

Autor(a)

Neivia Justa

Neivia Justa

Neivia Justa é executiva de Comunicação, Cultura e Diversidade & Inclusão, jornalista, empreendedora, palestrante, mentora e professora, com 30 anos de experiência, conhecimento, networking, influência e liderança em empresas como Timex, Natura, Schincariol, GE, Goodyear e J&J.Cearense, formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará, é pós-graduada em Marketing pela ESPM-SP, tem MBA em Varejo pela FIA-SP e Gestão de Negócios pela Tuck Business School - USA, entre outros.Sócia e diretora da C-Level Diversity, criadora da #JustaCausa e dos movimentos #ondeestãoasmulheres e #aquiestãoasmulheres, foi a vencedora do Troféu Mulher Imprensa e do Prêmio Aberje 2017 e, em 2018, foi eleita uma das Top Voices do Linkedin Brasil.Trabalha para transformar o mundo num lugar melhor, mais justo, diverso e igualitário para as futuras gerações, encontrando e ajudando a (trans)formar líderes (que fazem as empresas) para pensarem, se comunicarem e agirem de forma consciente, inclusiva e inovadora, e construírem um futuro sustentável para todas as pessoas.

Relacionados
Foto: Divulgação- Virgin Money Unity/ David Wala

Fãs em cercados: o novo normal dos festivais?

Mudança de Hábitos

Agência mapeará as tendências do setor de Live Marketing

Empresas conhecem um novo consumidor que veio para ficar

Preparando a retomada

Dados de ocupação e disponibilidade hoteleira

Agência cria ações para valorizar capital humano

A&B inclusivos: da diversidade à experiência do cliente