Página Principal Revista EBS

Comunicado da UBRAFE: Adiamento das feiras e eventos

Entidade convida envolvidos com feiras e eventos para esforço conjunto em busca de soluções e oportunidades para o setor

Em comunicado, a União Brasileira dos Promotores de Feiras (UBRAFE), entidade nacional que representa o conjunto das atividades da cadeia produtiva das feiras, convidou promotores, pavilhões, montadoras, prestadores de serviços e os mais de 35 mil expositores, além dos milhares de empresas compradoras e visitantes, a se unirem em busca de soluções e oportunidades, num esforço conjunto de recuperação dos negócios.

De acordo com a nota, diante dos últimos acontecimentos da Pandemia do COVID-19 (Coronavírus), recomendações e determinações oficiais dos órgãos da saúde  do Brasil “levaram as empresas promotoras de eventos a optar pelo adiamento da realização dos mesmos, os quais em sua grande maioria ainda aguardam nova data ser determinada nos próximos meses, e isso gerou dificuldades e apreensão, uma vez que nem nós, nem as autoridades governamentais podem afirmar prazos e dar previsões”.

Ainda segundo o comunicado, a pandemia está causando muitas vítimas. Mas além da vida, está colocando em risco outro o emprego e a renda. “Emprego e renda fazem parte da esperança de cada um de nós, pois as empresas para sobreviver precisam fabricar, distribuir e gerar comércio e serviços, mas para que isso se torne realidade é necessário que o consumidor também tenha renda e poder de consumo. Nossa cadeia de negócios, em sua grande maioria, é composta por pequenas e microempresas, importantes na cadeia produtiva, mas ao mesmo tempo as mais impactadas por esta pandemia”.

A atividade de férias e eventos impacta diretamente no PIB do país, nos 50 segmentos macroeconômicos. A UBRAFE ainda cita no comunicado o papel de cada envolvido:

– Promotor: é um player de alta relevância e valor, colocando a sua capacidade de integração e agregadora, funcionando como o grande ele entre todos os sistemistas da cadeia produtiva de uma feira, evento de negócios, expositores e visitantes.

– Expositor: continuar participando na data que for determinada, colocando produtos e serviços em exposição.

– Pavilhões: proporcionar condições econômicas e de data para que o promotor tenha a possibilidade de adequar e cumprir com todos os custos e compromissos para a realização da feira.

– Montadoras e Setor de Serviços: existe uma extensa cadeira produtiva, que começa na elaboração de um projeto de infraestrutura ou de expositor, preparação dos materiais necessários a esta atividade envolvendo montadora de estandes (projeto, tapeceiros, fornecedor  de carpete, fita, madeira, alumínio, materiais elétricos, vidro, tecido, cenografia, móveis, equipamentos elétricos e de TI, etc.), profissionais de limpeza, além de tapeceiros, bombeiros, pronto atendimento, receptivo, transfer, recepcionistas, tradutores, interpretes, demonstradores(as), áudio e vídeo, dentro outras necessidades que complementam este processo na sua grande maioria pequenas e microempresas.

– Limpeza e Coleta Seletiva de Lixo: o evento envolve uma extensa gama de profissionais e empresas de pequeno porte, dedicados a limpeza, higienização e conforte de todos profissionais envolvidos nos eventos.

– Pronto Atendimento: todos os eventos são equipados com área de pronto atendimento com médico, enfermeiras (os), ambulância 24 horas por dia, durante montagem, realização e desmontagem.

– Socorrista: todos os eventos são equipados com equipe de socorristas (bombeiros especializados em eventos), que atuam 24 por dia nos períodos de montagem, realização e desmontagem.

– Catering: restaurantes e praças de alimentação, buffet nos estandes, serviços estes executados por uma infinidade de micro e pequenas empresas.

– Mídia Presencial – Eletrônica – Impressa e Digital: na cadeia produtiva das feiras existem várias empresas especializadas em mídia presencial, eletrônica, impressa e digital que fazem diariamente a cobertura destes eventos levando ao público informação qualificada e de grande valor.

– Governos federal, estaduais e municipais: participando diretamente ou através de seus agentes proporcionando capital de giro, redução de impostos, criando oportunidade e fomento através da rede de desenvolvimento – aqui, mais do que desenvolver, é preciso preservar o que já existe e disponibilizar equipamentos para serem melhor aproveitados.

– Cadeia do turismo de negócios (cias. Aéreas, meios de hospedagem, agentes de viagem): viabilizando a oportunidade de o comprador estar presente nesses eventos que estão sendo adiados, realizar negócios e manter a cadeia produtiva viva e com perspectivas de futuro.

– Visitantes e compradores: mantendo-se cada vez mais engajados, comparecendo e gerando negócios e oportunidades.

Está na hora de colocarmos o bom senso em primeiro lugar e discutirmos a cadeia produtiva, seus impactos e o papel de cada um desses atores.

Este é o grande teste de compartilhamento e de esforço coletivo, e juntos atravessaremos a crise e venceremos essa difícil batalha”.

Leia o comunicado na íntegra.

Relacionados

ABCR promove evento gratuito sobre o Dia de Doar 2021

Por que a retomada ainda não decolou?

Inovações da área de recursos humanos

Mercoagro é adiada para setembro de 2022

Plataforma pioneira em metaverso será apresentada no Futurecom

Feira EBS 2021 abre credenciamento

Uma das maiores feiras de estética da América Latina está de volta

ABCasa Fair oferece conteúdo dirigido: decoração, design, marketing e economia