Página Principal Revista EBS

Qual a importância do Business Partner para as empresas?

Foto: Pixabay
Presença deste profissional é vital para organizações que desejam crescer de maneira eficiente

Publicado em 26/03/2020

Nos últimos anos, o papel do RH cresceu de forma estratégica dentro das organizações, e com isso surge a figura do Business Partner para ajudar no processo de tomada de decisões da empresa. Qual a importância desse profissional em um cenário cada vez mais tecnológico?

Você sabe o que é Business Partner?

Business Partner (BP) ou parceiro de negócios é um termo que surgiu com o pesquisador americano Dave Ulrich, definido em seu livro “Human Resource Champions” nos anos 80 e, visa, principalmente, aproximar as atividades de rh e de gestão de pessoas do negócio da empresa como um todo.

A lógica do Business Partner de Dave Ulrich é simples: trabalhar como um parceiro de negócios e ter uma atuação/ posicionamento de um consultor interno. Ou seja, ao invés desse profissional estar vinculado a uma área de recursos humanos exclusivamente, ele sai desse cenário e vai para dentro da empresa avaliar se o que está sendo feito enquanto gestão de pessoas está se refletido numa melhoria da organização ou no setor no qual ele presta consultoria interna.

O Business Partner é, portanto, um canal entre as políticas e práticas de gestão de pessoas com a realidade da empresa e dos setores e, com isso, identifica pequenas falhas ou oportunidades de melhoria tanto no processo de produção ou de gestão de pessoas ou de liderança quanto nas políticas e práticas de gerenciamento.

O profissional é responsável por executar ajustes por meio de uma visão de consultor interno para que as atividades e ações se tornem cada vez mais eficientes e funcionem de uma maneira melhor, e isso se traduz em um resultado econômico positivo para as empresas, com maior faturamento, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A ideia é que promova um ganho global de uma forma de se trabalhar que seja mais inteligente.

Dave Ulrich definiu quatro principais papéis de um Business Partner, que são:

  • Gerente de operações;
  • Parceiro estratégico;
  • Resposta à emergência;
  • Mediador de conflitos.

Basicamente, o sucesso de um Business Partner é definido por sua capacidade de operar como parte integrante do negócio, trazendo para o foco o conceito de ser um parceiro. Os BPs não participam de funções administrativas, mas aplicam políticas e retransmitem decisões executivas para as equipes de rh.

Parceria tem que partir também da organização

Para que a parceria entre empresa e Business Partner funcione, a empresa por meio de sua gerência, deve ser capaz de determinar, identificar e comunicar quais são exatamente os objetivos que eles gostariam de alcançar através da ajuda do parceiro de negócios, e este, deve saber exatamente o que necessita trabalhar para formular soluções específicas para cada objetivo.

Essa parceria deve ter uma estrutura que guie seu processo colaborativo de tomada de decisão.

Quem pode atuar como Business Partner?

Para atuar como Business Partner é preciso manter um equilíbrio entre a especialização necessária para realizar as atividades deste cargo com o diálogo com outros especialistas de outros setores, em especial, gestores.

O Business Partner deve ter um conhecimento especializado, mas precisa traduzir todo ele em algo mais concreto ou, pelo menos, em algo aplicável para que essas outras áreas consigam compreender a importância e a partir daí gerar as ações necessárias.

Normalmente são procurados para atuar nessa função especialistas em rh (e profissionais de áreas correlacionadas), administradores ou psicólogos, porém é importante ressaltar que quem pretende atuar nessa função deve ter experiência em atividades relacionadas ao que vai atuar, como gestão de pessoas, negócios e rh. Além disso, ele pode e deve auxiliar a empresa quanto à definição de cursos de qualificação dos funcionários, bem como organização de Treinamento & Desenvolvimento (T&D).

A figura do BP reflete:

  • Competência
  • Capacidade de desafiar
  • Conhecimento do negócio de quem o ocupa

Um dos requisitos mais importantes para atuar nessa área é a flexibilidade e a capacidade de se comunicar e transitar, seja em áreas altamente especializadas como gestão de pessoas como em áreas de produção em uma indústria, por exemplo, elaborando estratégias de ações que atendam todas áreas e necessidades e promova resultados, tanto para pessoas quanto para a organização.

Entre as principais habilidades para atuar como Business Partner, estão:

  • Antecipar riscos
  • Lidar com posições de liderança
  • Manter bom relacionamento
  • Mediar interesses
  • Saber planejar
  • Ser um bom executor

Para desenvolver qualquer uma dessas habilidades é importante que aja dinamismo deste profissional, pois esse dinamismo está associado ao do mercado onde a empresa está inserida.

O impacto do valor humano na qualidade dos serviços – Feira EBS 2019

Uma pesquisa de 2016 realizada pela CEB,consultoria global de benchmarking, corrobora destacando que as empresas que possuíam Business Partners eficientes tiveram um crescimento de até 10% na receita e, em média, um aumento de 9% nos lucros.

Ainda, a atuação do BP varia de empresa para empresa, cada um com seu formato, e foco de atuação.

Por que contratar um Business Partner?

Sergio Lopes
Foto: Assessoria

Para Sergio Lopes, especialista em Liderança e Gestão de Pessoas, Processos e Resultados e Gestão em RH, se a empresa de fato valoriza as pessoas como o recurso estratégico mais importante e o único diferencial competitivo. “É preciso que as demandas de atração e retenção dos profissionais sejam permanentemente monitoradas e que haja se estabeleçam de planos de ação de desenvolvimento humano e organizacional”. Segundo o especialista, é importante ter um profissional de RH pensando exclusivamente naquele negócio.

Business Partner: Tendência ou modismo?

Considerando que, cada vez mais, as ações de qualquer área de uma empresa, em especial de gestão de pessoas, se torna mais estratégicas – com valor agregado e uma visão de futuro maior – a posição de Business Partner aparece como uma das funções mais promissoras do rh atual.

A atuação do rh nas empresas foi se transformando com os anos e se moldando para atender às necessidades e expectativas de empresas e colaboradores. Conforme os meios de estruturação e gestão de pessoas das empresas foram se modificando, seja por vias tecnológicas ou de comportamento organizacional da sociedade em geral, a figura do Business Partner recebeu reconhecimento como uma área de rh estratégico e, com isso, o interesse do mercado por esse profissional ganhou evidência.

Hoje as empresas demandam mudanças de posicionamento e de ações e, justamente, esse perfil de integrar essas transformações e traduzir em melhor desempenho para as empresas e pessoas, faz com que o Business Partner tenha esse perfil e seja um profissional altamente requisitado, com grandes possibilidades de crescimento no mercado de trabalho de uma forma geral.

“No início, muitas empresas adotaram o conceito ‘consultor interno’, ainda sem saber exatamente a dimensão dessa função. Além da falta de profissionais generalistas, as interfaces entre a área central de rh, consultor interno e área de negócio exigiam maturidade dos envolvidos e dos processos. Como nem sempre isso existia, os conflitos eram enormes e a função quase desapareceu”, explica o especialista Sergio Lopes.

Para Lopes, com a evolução para o conceito de Business Partner e a necessidade de que a área de rh se tornasse presente na definição e execução das estratégias de negócio, houve a consolidação da função. “Para muitas unidades de negócio ou áreas de apoio, a presença de um Business Partner é indispensável. Já foi modismo, já foi tendência e hoje é realidade!”, destaca o especialista Sergio.

Leia também:

Relacionados

A estratégia de Employer Branding na atração e retenção de talentos

Validade dos profissionais no mercado de trabalho

mp 927

O que muda nas regras trabalhistas com o fim da MP 927

Mudança de Hábitos

Como liderar em um cenário de volatilidade?

A importância do marketing pessoal em tempos de crise

Um líder compreende, motiva e colabora com a equipe

Como manter a motivação em tempos difíceis?