Página Principal Revista EBS

Como se reinventar profissionalmente na pandemia? Personal Branding é um dos caminhos

Foto: Gerd Altmann | Pixabay
A importância de construir um planejamento estratégico coerente, colocando em prática planos de ações alinhados aos objetivos profissionais.

Publicado em 18/08/2020

Com a rápida disseminação do novo Coronavírus no Brasil, houve um acirramento da crise econômica que já afetava o País antes da pandemia. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados no último dia 6 de agosto, cerca de 8,9 milhões de brasileiros perderam seus empregos entre abril e junho deste ano – intervalo que abrange o pior momento da propagação da Covid-19.

A taxa de desemprego no trimestre encerrado em junho chegou a 13,3%, um recorde para o período. Ao todo, o Brasil soma neste momento 12,8 milhões de pessoas desocupadas. Profissionais dos mais variados setores, entre eles os de eventos, que estão sendo afetados ou que serão num futuro próximo.

As medidas de isolamento social adotadas no País e em boa parte do mundo, no entanto, contribuíram para acelerar mudanças que vinham ocorrendo no trabalho antes mesmo da pandemia. No mundo globalizado, o emprego, no sentido clássico, já estava em processo de transformação. Um exemplo são os trabalhos pontuais, “on demand”, que vinham crescendo.

A tendência é de continuidade, mesmo após superado o delicado momento de crise sanitária provocada pela Covid-19. No contexto vigente, de “novo normal”, o profissional, contudo, precisará se reinventar. E comunicar os seus diferenciais, além de estabelecer uma sólida reputação. Serão as garantias no processo de reinserção ao mercado de trabalho, seja conseguindo um novo emprego ou mesmo empreendendo.    

É fundamental que ele tenha um propósito de carreira claro, construa um planejamento estratégico pessoal coerente e coloque em prática planos de ações factíveis alinhados aos seus objetivos profissionais. Essas iniciativas poderão determinar as oportunidades que ele terá no presente e no futuro. Aqueles que precisam ser reintegrados ao mercado de trabalho, nas mais diversas modalidades, deverão se tornar promotores de si mesmos. Precisam conhecer o personal branding e focar no gerenciamento da própria reputação. O personal branding investiga quem é o profissional, o que ele faz e como constrói valor, gerenciando como os seus atributos, diferenciais e a sua imagem serão comunicados.

Comunicação, aliás, é um dos pilares da imagem, que também é formada pela aparência e pelo comportamento. Ela abrange as expressões verbal, sobre o discurso e o conteúdo, o que é falado; e não-verbal, relacionada a gestos, energia, tom de voz e uso do espaço-tempo.

É na integração, e, principalmente, na coerência entre todos esses elementos que a reputação de um profissional torna-se fortalecida.  Todas as estratégias, táticas e ações de posicionamento, devem ser exclusivas, elaboradas com base na essência do profissional. Precisam ser desenvolvidas a partir dos atributos, valores e talentos pessoais. Esses elementos definem quem é o profissional, os diferencia perante os demais e devem ser acionados em prol do seu retorno ao mercado de trabalho.

Leia também: A importância do Marketing Pessoal em tempos de crise

Branding pessoal é pensar em si mesmo como uma marca. Ao enxergar-se como uma tal, o profissional não fica a mercê das circunstâncias para alcançar os seus objetivos. Em um cenário com tantas mudanças, a reputação é e continuará sendo o ativo mais importante que existe. É o mais duradouro. Por que não cuidar dela?

A partir deste preâmbulo, enumero cinco dicas práticas de branding pessoal para você retornar ao mercado de trabalho:

#1 – Defina propósitos: entenda quem é enquanto profissional e estabeleça objetivos claros de carreira. Quem é você no trabalho? Como chegou aonde se encontra? E quais posições deseja alcançar? Procure saber como o mercado lhe enxerga, construa uma “personalidade profissional” e determine quais conceitos gostaria de associar a seu nome. Crie um PEP (Planejamento Estratégico Pessoal) coerente com os seus propósitos gerais.

#2 – Ofereça valor: o mercado quer saber, de fato, como você pode colaborar. Nesse sentido, é fundamental entregar valor. As pessoas não adquirem produtos ou serviços, mas soluções, ou seja: valores agregados. O mesmo acontece em relação a um profissional. Quais problemas você resolve? Quais soluções oferece? Como pode contribuir num cenário de pandemia, ou depois dela? Defina o seu valor agregado e construa um guia de ações para comunicar esses diferenciais.

#3 – Mire um público-alvo: a determinação do público-alvo é um dos primeiros passos de um sólido planejamento de marketing. Esta definição acontece para que haja adequação entre a proposta de valor e o público correto. Em relação ao personal branding, no entanto, acontece o contrário: primeiro se define a oferta de valor para, apenas em seguida, estabelecer o perfil das pessoas que pretende alcançar. Deseja chamar a atenção de headhunters/recrutadores? Ou, espera atrair novos clientes para o seu negócio? Delimite a sua abrangência, o seu nicho de atuação, e, sobretudo, o público-alvo adequado.

#4 – Use as mídias sociais: mas, faça isso de forma planejada. Elas devem servir como um “cartão de visitas” digital. Precisam divulgar quem é o profissional, quais as suas expertises, os seus objetivos e as suas aspirações. No entanto, antes de criar ou atualizar perfis online, é importante construir uma estratégia fundamentada. A minha sugestão é definir o tipo de conteúdo que será publicado, uma “linha editorial” para cada plataforma (LinkedIn ou Instagram, por exemplo), a frequência das publicações e, claro, o modo como vai interagir com os seguidores.

#5 – Tenha autenticidade: é importantíssimo para que uma pessoa se torne relevante. Seja presencialmente ou nas mídias sociais, no conteúdo que compartilha ou na forma como interage com as pessoas: seja sempre verdadeiro. Autenticidade desperta confiança e confiança gera familiaridade. As pessoas só confiam em quem lhes parece familiar.

Autor(a)

Higor Gonçalves

Higor Gonçalves

Jornalista com alma de relações públicas. Formado em Jornalismo, pós-graduado em Comunicação Mercadológica e Marketing do Consumo, é especialista em Assessoria de Comunicação e possui MBA em Gestão Estratégica de Marketing.Atua há mais de dez anos nas áreas de marketing e comunicação corporativa, com passagens por agências, empresas e instituições dos ramos de publicidade, tecnologia, educação e terceiro-setor. Ministra palestras, workshops, cursos e ainda presta consultoria como public relations e como estrategista em personal branding.Também colabora com artigos para renomados veículos de comunicação. Foi finalista na categoria “conteúdo” do Prêmio Abradi 2019 e 2020, e Destaque do Mercado Digital (Top 3 entre os ganhadores) do Prêmio Digitalks 2019, na categoria “Content Marketing.”

Relacionados

Você conhece o perfil comportamental dos colaboradores da sua empresa?

Home office e o esgotamento profissional

Estudo aponta tendências para promoções em 2020

Quem é o profissional do segmento MICE?

Dicas Promoção em Redes Sociais

Dicas essenciais para a promoção de eventos nas redes sociais

branding pessoal e marca pessoal

Branding Pessoal: Como gerenciar sua marca pessoal num mercado cada vez mais competitivo?