Página Principal Revista EBS

Ikigai: É possível encontrar oportunidade em meio ao caos?

Foto: Bruno /German - Pixabay
Professor da ESPM compila 15 anos de estudo em guia gratuito para orientar profissionais para o pós-coronavírus

Publicado em 02/06/2020

Em tempos de pandemia, em meio à quarentena, negócios e pessoas foram obrigadas a repensar suas rotinas e seus relacionamentos com familiares, amigos e com o mundo.

No ambiente de negócios, as práticas voltadas para a otimização de recursos se tornou a grande moeda de valor: todas as empresas e segmentos foram obrigados a inovar, e de maneira rápida.

No ambiente familiar e individual, os relacionamentos também estão passando por um processo de profunda transformação. O espaço habitável, o olho no olho e a convivência diária também ganharam novos contornos.

Segundo o professor da ESPM-SP, e especialista em inovação e criatividade, Marcelo Pimenta, as mudanças bruscas na vida das pessoas permitiu a reflexão sobre seu modo de vida. Isso porque o distanciamento – não só das pessoas, mas do modo antes considerado “normal”, fez com que muitos se questionassem sobre a realização plena em todos os aspectos da sua vivência.

“Estamos falando sobre o processo de transformação do centro de geração de valor do indivíduo. Podemos analisar por pesquisas, que o trabalho se transformou ao longo dos anos, mas, certamente, o cenário que estamos vivendo, é bem diferente de todos os outros. O futuro nos aponta a inevitável necessidade de transformações profundas na maneira às quais fazemos escolhas, e isso, não vai demorar a acontecer”, explica o especialista.

Os estudos de Marcelo Pimenta apontam para uma necessidade urgente e emergente de se encontrar novos sentidos para velhas necessidades. Para ele, encontrar o equilíbrio entre o que se ama, o que o mundo precisa, o que se gosta de fazer e a demanda gerada pelos clientes (e o quanto estão dispostos a pagar), pode ser a chave para o início de uma nova caminhada.

As provocações do estudioso tem como base a filosofia japonesa para uma vida mais feliz chamada Ikigai.

“Nesse momento é preciso que as pessoas se conectem com aquilo gostam de fazer, com o que mundo precisa e a necessidade de se reinventar para ganhar dinheiro, já que as oportunidades de emprego também passam por uma drástica transição”, explica.

A filosofia Ikigai é composta por quatro círculos que se sobrepõem que são:o que eu amo fazer, o que eu posso fazer bem, o que eu posso ser pago para fazer, e o que o mundo precisa.

ikigai

Ele enfatiza que o IKIGAI tem em seu centro o propósito único e individual de cada profissional que, obrigatoriamente, precisará alinhar suas aspirações pessoais e profissionais, seus valores  e oportunidades de trabalho e negócios.

“Quando o trabalho é motivado por um propósito e há alinhamentos entre os valores individuais e os valores de uma organização, a satisfação e o processo produtivos são amplificados, o que beneficia todos envolvidos. E isso é muito importante, pois, podemos afirmar que viveremos outro mundo pós coronavirus”, afirma.

Estudos estão compilados em guia – Todos os estudos e reflexões estão explicados de forma didática no “Guia da Mentalidade Ikigai”, criado pelo professor Marcelo Pimenta, com o objetivo de auxiliar os profissionais e empresas nesta transição ocorridas na atualidade.

No material á um compilado de anos de estudos do professor, e é possível baixar uma versão gratuita até o final deste mês de maio. Após esse período, o download estará disponível para acesso com valor simbólico de R$29,90.

O professor também já preparou um curso com a temática, cujas inscrições estarão abertas no segundo semestre do ano.

O link para baixar o guia gratuito é https://marcelo.pimenta.com.br/guia-da-mentalidade-ikigai/

Acesse vídeos, podcasts e outros artigos em http://marcelo.pimenta.com.br

Leia também:

 

Autor(a)

Marcelo Pimenta

Marcelo Pimenta

Unindo as competências de comunicador, professor e empresário, é um dos pioneiros da Internet no Brasil, com 20 anos de experiência como empreendedor digital.Professor da ESPM/SP, responsável pelas disciplinas de Gestão da Inovação e Design Thinking, onde é reconhecido pela criatividade em sala de aula, sempre criando novas formas de aprender e ensinar.

Relacionados

Rio de Janeiro adia a reabertura de teatros, cinemas e casas de eventos

Expo Retomada fala sobre o futuro dos eventos presenciais

20 tendências para inovação nos negócios pós-coronavírus

rodada - speed meeting

Na crise: relacionamentos e oportunidades de negócios

Ideias para inovar na pandemia: o futuro já começou

Pós-pandemia: o intraempreendedorismo pode impulsionar a inovação nas empresas

Como manter a motivação em tempos difíceis?

Capital Paulista avança de fase, mas feiras e eventos não têm previsão de retorno