Página Principal Revista EBS

Superar a crise: Encontre oportunidades nas adversidades

Foto: OpenClipart-Vectors /Pixabay
O que podemos aprender para superar a crise com o “O Jeito Harvard de Ser Feliz”

Publicado em 13/05/2020

Temos adversidades de sobra nessa crise do coronavírus. Mas você pode talvez estar vendo apenas o lado “negativo” da adversidade. A psicologia reconhece que dependendo de nosso modelo mental, é possível superar as dificuldades e nos tornar mais fortes e mais capazes do que antes do trauma. E vamos aprender mais sobre como podemos superar a crise resgatando os ensinamentos do texto “Encontre oportunidade na adversidade – Capitalizar a queda para ganhar impulso para subir”, capítulo 4 do best seller o “O Jeito Harvard de Ser Feliz”, de Shawn Achor.

Quando estamos estressados ou em crise, muitos de nós deixamos de ver o caminho mais importante de todos: o caminho que nos leva a encontrar oportunidades na adversidade.

O Jeito Harvard de superar crise

Neste sentido, temos três opções frente ao inesperado:

  • O primeiro é o caminho do vitimismo (levar para o lado pessoal)
  • O segundo é do negativismo e do medo (achar que tudo está perdido)
  • E o terceiro caminho que é o da superação e do aprendizado.

Como diz Jim Collins,

“Não somos aprisionados pelas nossas circunstâncias, nossos revezes, nossa história, nossos erros nem mesmo os descomunais, derrotas ao longo do caminho. Na verdade, somos libertados pelas nossas escolhas”.

Shawn Achor também nos ensina que, ao analisarmos nosso mapa mental em busca de oportunidades positivas a ao rejeitar a crença de que cada queda na vida nos leva mais para baixo, oferecemos a nós mesmos o maior poder possível: a capacidade de nos elevar não apesar dos contratempos, mas devido a eles.

Vale lembrar que a psicologia e a medicina hoje já reconhecem o crescimento pós-traumático – que ocorre com pessoas após um ataque cardíaco, agressão física, câncer de mama, confronto militar, desastre natural, deslocamento de refugiados – são eventos que depois de superados, levam a um profundo crescimento positivo em muitas pessoas.

Você provavelmente já ouviu a história de dos dois vendedores de sapatos que foram enviados à África no início dos anos 1900 para avaliar as oportunidades.

Eles enviaram telegramas separadamente ao chefe. Um deles dizia: “Situação desesperadora. Eles não usam sapatos”. O outro telegrama dizia: ‘’Enorme oportunidade! Eles ainda não têm sapatos’’. Ou seja, ver a oportunidade é questão de ponto de vista, ou atualmente chamado de mindset.

As crises pessoais podem proporcionar as bases para um crescimento individual positivo, o mesmo pode ocorrer no caso de crises econômicas. Elas muitas vezes impelem as empresas ao sucesso e, com efeito, muitas potências dos negócios do século XX – como a Hewlett-Packard e a Texas Instruments – foram lançadas durante a Grande Depressão, de forma similar, as empresas de maior sucesso na América muita vezes utilizaram as recessões para reavaliar e melhorar suas práticas de negócios. Como a Time observou já em 1958 (apesar de a mensagem ser tão relevante ainda hoje), “para casa empresa que reduz suas operações, outra descobre novas maneiras de fazer as coisas que deveriam ter sido implementadas a anos, mas foram negligenciadas durante épocas de prosperidade”.

A adversidade econômica força as empresas a encontrar maneiras criativas de cortar custos e inspira os gestores a retomar o contato com os colaboradores e as operações no chão de fábrica. O presidente de uma empresa admitiu que passar por uma recessão acabou se provando de valor inestimável:

“Descobrimos todas as espécies de revisões que poderíamos realizar para melhorar as nossas operações. Hoje essas revisões funcionam tão bem que não voltaríamos ao nosso antigo estilo de fazer as coisas mesmo se a recessão acabasse amanhã.”

Otimismo X Pessimismo

Em uma pesquisa foi constatado que vendedores com estilos mais otimistas vendiam 37% mais do que os pessimistas e que os vendedores mais otimistas vendiam até 88% mais que os mais pessimistas. Além disso, os vendedores otimistas apresentavam metade da probabilidade de pedir demissão em relação aos pessimistas. Ou seja, nesse momento, se afaste de pessoas tóxicas e se aproxime de pessoas com boas conversas, conteúdos e experiências.

E claro que, diante disso tudo, mais importante do que ter pessoas e pensamentos positivos para superar a crise, aja positivamente também. É a sua ação que superará a adversidade. E comece compartilhando esse texto com algum amigo seu que precisa ler isso hoje.

Acesse vídeos, podcasts e outros artigos em http://marcelo.pimenta.com.br.

Leia também:

Autor(a)

Marcelo Pimenta

Marcelo Pimenta

Unindo as competências de comunicador, professor e empresário, é um dos pioneiros da Internet no Brasil, com 20 anos de experiência como empreendedor digital.Professor da ESPM/SP, responsável pelas disciplinas de Gestão da Inovação e Design Thinking, onde é reconhecido pela criatividade em sala de aula, sempre criando novas formas de aprender e ensinar.

Relacionados

Ikigai: É possível encontrar oportunidade em meio ao caos?

Pequenas empresas, grandes líderes: como agir em tempos de crise?

EAD obrigatório: a pandemia revolucionará métodos?

LATAM se prepara para retomada das operações

Empresa de trade marketing abre vagas

Um manifesto: Gestão de Pessoas e Covid-19

ESPM oferece cursos gratuitos

estetocópio

COVID-19 pode ser reconhecida como doença ocupacional