Página Principal Revista EBS

São Paulo vai exigir passaporte de vacina para entrar em eventos

Foto: Freepik / Frimufilms
Aplicativo, que deve ser lançado até sexta-feira (27), vai auxiliar na identificação de 'passaporte da vacina'.

Publicado em 23/08/2021

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, anunciou nesta segunda-feira (23) que a população vai precisar de um passaporte de vacinação para entrar em eventos, shoppings, restaurantes e outros estabelecimentos. O documento será emitido por um aplicativo.

O estabelecimento que estiver com um ou mais frequentadores que não receberam nenhuma dose do imunizante contra a covid-19 será multado.

“O conceito principal é que os estabelecimentos só vão poder aceitar pessoas que estejam vacinas . Esse é o passaporte da vacinação. Se o estabelecimento estiver com pessoas sem vacina e isso for observado pela Vigilância Sanitária, ele sofrerá multa. Então vamos oferecer um mecanismo para que esses locais identifiquem quem tem vacina. Vamos fornecer o sistema para que ele baixe na plataforma e-Saúde e faça a leitura do QR Code”, disse Nunes em coletiva de imprensa.

Os cidadãos deverão baixar o aplicativo, que deverá ser lançado até sexta-feira (27), efetuar o cadastro e emitir um QR Code.

A leitura do código vai permitir que os estabelecimentos saibam se a pessoa está com alguma dose atrasada, caso em que deverá ser barrada.

Os vacinados também poderão utilizar o aplicativo como forma de lembrete para que todos mantenham-se atualizados quanto a data da próxima dose.

“É um serviço importante porque às vezes a pessoa recebe a carteirinha de vacinação e esquece. Muitos não tomaram a segunda dose – hoje são 211 mil na cidade de São Paulo por conta de esquecimento. Então pelo aplicativo no celular ela vai fazer a leitura e identificar a data da vacinação. Mas o objetivo principal é mesmo o passaporte para adentrar os locais autorizados pela Vigilância Sanitária, como eventos”, informou o prefeito.

Ainda não foi divulgada a data de início da obrigatoriedade, assim como o valor da multa, que “não será barata”, segundo Nunes.

Há uma semana, a quarentena contra o coronavírus foi encerrada no estado de São Paulo pelo governador João Doria, antes que a maioria da população esteja imunizada com as duas doses da vacina contra a Covid-19 e com indicadores da pandemia ainda fora de controle.

Bares, restaurantes, academias e cinemas não têm mais restrição de horário ou quantidade de público para operar. As exceções são os shows, que estão permitidos, desde que com público sentado, e eventos esportivos com público, que continuam proibidos. A utilização de máscara continua obrigatória.  

Fonte: G1

Relacionados

A potencialidade do metaverso

Marketing no metaverso: 4 benefícios desta relação para o mercado

Teia Pride Festival transforma região industrial da Mooca no meeting point da semana do orgulho LGBTQIAP+

Agências de Live Marketing são escolhidas por menor preço, constata pesquisa da AMPRO

Digio envolve público do Festival João Rock 2022 com experiências transformadoras

Os desafios de conciliar a vida profissional e a maternidade

Feira EBS promove mais de 7 mil reuniões nas rodadas de negócios e supera expectativas

Feira EBS começa amanhã e confirma Celso Athayde, do case Expo Favela