Página Principal Revista EBS

São Paulo vai exigir passaporte de vacina para entrar em eventos

Foto: Freepik / Frimufilms
Aplicativo, que deve ser lançado até sexta-feira (27), vai auxiliar na identificação de 'passaporte da vacina'.

Publicado em 23/08/2021

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, anunciou nesta segunda-feira (23) que a população vai precisar de um passaporte de vacinação para entrar em eventos, shoppings, restaurantes e outros estabelecimentos. O documento será emitido por um aplicativo.

O estabelecimento que estiver com um ou mais frequentadores que não receberam nenhuma dose do imunizante contra a covid-19 será multado.

“O conceito principal é que os estabelecimentos só vão poder aceitar pessoas que estejam vacinas . Esse é o passaporte da vacinação. Se o estabelecimento estiver com pessoas sem vacina e isso for observado pela Vigilância Sanitária, ele sofrerá multa. Então vamos oferecer um mecanismo para que esses locais identifiquem quem tem vacina. Vamos fornecer o sistema para que ele baixe na plataforma e-Saúde e faça a leitura do QR Code”, disse Nunes em coletiva de imprensa.

Os cidadãos deverão baixar o aplicativo, que deverá ser lançado até sexta-feira (27), efetuar o cadastro e emitir um QR Code.

A leitura do código vai permitir que os estabelecimentos saibam se a pessoa está com alguma dose atrasada, caso em que deverá ser barrada.

Os vacinados também poderão utilizar o aplicativo como forma de lembrete para que todos mantenham-se atualizados quanto a data da próxima dose.

“É um serviço importante porque às vezes a pessoa recebe a carteirinha de vacinação e esquece. Muitos não tomaram a segunda dose – hoje são 211 mil na cidade de São Paulo por conta de esquecimento. Então pelo aplicativo no celular ela vai fazer a leitura e identificar a data da vacinação. Mas o objetivo principal é mesmo o passaporte para adentrar os locais autorizados pela Vigilância Sanitária, como eventos”, informou o prefeito.

Ainda não foi divulgada a data de início da obrigatoriedade, assim como o valor da multa, que “não será barata”, segundo Nunes.

Há uma semana, a quarentena contra o coronavírus foi encerrada no estado de São Paulo pelo governador João Doria, antes que a maioria da população esteja imunizada com as duas doses da vacina contra a Covid-19 e com indicadores da pandemia ainda fora de controle.

Bares, restaurantes, academias e cinemas não têm mais restrição de horário ou quantidade de público para operar. As exceções são os shows, que estão permitidos, desde que com público sentado, e eventos esportivos com público, que continuam proibidos. A utilização de máscara continua obrigatória.  

Fonte: G1

Relacionados

ABCR promove evento gratuito sobre o Dia de Doar 2021

Por que a retomada ainda não decolou?

Inovações da área de recursos humanos

Mercoagro é adiada para setembro de 2022

Quanto mais tecnologia, mais humanos precisamos ser

Plataforma pioneira em metaverso será apresentada no Futurecom

Feira EBS 2021 abre credenciamento

Feedback em tempos de home (e anywhere) office