Página Principal Revista EBS

Inglaterra prevê a retomada de eventos para 21 de junho

Foto: David Mark /Pixabay
Ainda que mediante análise de dados de contaminação, Reino Unido anuncia a retomada do setor de eventos

Publicado em 22/02/2021

As restrições aos eventos na Inglaterra devem ser suspensas a partir de junho de 2021, de acordo com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson. 

Entretanto, alguns formatos de eventos podem ser permitidos já a partir de maio. Mesmo que seja com capacidades restritas, com até 1.000 pessoas ou 50% da capacidade permitida, esses eventos devem estar liberados a partir de 17 de maio. Até 10.000 podem ser permitidos em ambientes sentados ao ar livre, como estádios.

O governo planeja realizar eventos no formato piloto a partir de maio.

Nessa segunda-feira (22), o primeiro-ministro divulgou o planejamento da retomada da liberação das atividades, ele disse que tudo depende de dados, e não de datas. 

No entanto, ele também deu a entender que podem ser necessários testes para que grandes eventos ocorram, mas não especificou mais detalhes.

Antes da data de início provisório (21 de junho), só seria dada autorização com sete dias de antecedência, com a devida análise às taxas de infecção, outros eventos piloto seriam realizados.

“Vamos promover eventos piloto eventos maiores usando testes avançados com a ambição de uma maior flexibilização das restrições na próxima etapa”, disse Boris Johnson.

“A etapa quatro não começará antes de 21 de junho. Com os protocolos apropriados, abriremos tudo, inclusive boates, e permitiremos grandes eventos, como apresentações de teatro, além dos limites da Etapa 3.”, complementou.

O primeiro-ministro disse que quatro revisões estarão ocorrendo para planejar com mais precisão a reabertura mais ampla. As análises incluem certificação específica.

Atividades comerciais como varejo não essencial, lazer ao ar livre e bares com áreas externas reabrirão antes de 12 de abril.

Chris Skeith, CEO da Associação de Organizadores de Eventos do Reino Unido , comentou:  “A inclusão de eventos nos últimos estágios de reabertura é um desenvolvimento bem-vindo e estamos confiantes de que seremos capazes de demonstrar ainda mais nossa capacidade de fornecer segurança aos participantes dos eventos piloto anunciado pelo governo. As empresas de feiras precisam de apoio enquanto as restrições estiverem em vigor, uma agenda clara de reabertura e um esquema de apoio do governo, caso contrário, perdas de empregos devastadores e falências de negócios estão chegando.”

O primeiro-ministro disse que os detalhes das medidas de apoio às empresas seriam anunciados pelo chanceler do Tesouro, Rishi Sunak, em seu orçamento, em 3 de março.

Ainda:

Relacionados

Covid escancara desigualdades e impõe desafios à gestão de RH

Show reúne 5.000 pessoas em Barcelona, após testes de covid-19

Texto-base do projeto de ajuda ao setor de eventos é aprovado

Setor de eventos perde R$ 270 bilhões durante a pandemia

Movimento Unidos pela Vacina é lançado

ABAV detalha ações para a retomada

Aprovada urgência para o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos

ABEOC Brasil em missão em Brasília pelo socorro ao setor de eventos